terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Governo "chumba" RTP Memória e RTP Informação na TDT (actualizada)

Segundo notícia de 27/02 do jornal Correio da Manhã, o governo irá votar contra a proposta do PCP que propõe, entre outras coisas, a disponibilização de todos os canais da RTP na TDT. O mesmo deverá fazer o CDS, tornando o chumbo da proposta inevitável. O desfecho anunciado não constitui surpresa, pois tornou-se evidente desde há algum tempo quais os interesses que o Governo defende. A concretizar-se o chumbo assistiremos ao Parlamento a decidir contra os interesses dos cidadãos, ainda por cima fundamentando a decisão com base em dados que com alta probabilidade estão errados. Não seria a primeira vez que tal acontece. Basta recordar os recentes "estudos" invocados para encerrar as emissões de rádio em Onda Curta, que se basearam em informações erradas, mas que serviram de fundamentação para a tomada da decisão. Parece ter cabido à Sra. deputada Francisca Almeida (PSD) dar a “boa nova” aos portugueses, ao declarar ao referido jornal que o chumbo da proposta será devido aos alegados custos. Segundo a deputada, colocar os canais na TDT «representaria um acréscimo de custos de 3,5 milhões de euros anuais por canal» e seria ainda necessário somar «uma perda de receitas de 5,5 milhões de euros», valor que os canais recebem por fazer parte dos pacotes da ZON e MEO.

Já comuniquei à Sra. deputada o meu cepticismo quanto aos valores apresentados e pedi esclarecimentos. O custo de 3,5 milhões anuais por canal não será certamente o custo com a emissão do sinal. E, relativamente á hipotética perda de receitas dos operadores de televisão paga, já aqui referi, em diversas ocasiões, que se trata de uma falácia. Ao contrário da justificação apresentada, a presença dos canais na TDT não implica a saída dos pacotes dos operadores de televisão por subscrição. Se os canais recebem 5,5 milhões pela presença na ZON e MEO, a presença na TDT nunca iria provocar a perda dessa receita pois, como expliquei, os canais não abandonam as plataformas pagas. Quanto muito poderá haver uma pequena redução das receitas desses operadores por deixar de haver exclusividade. Mas os canais são "apetecíveis" (especialmente a RTP Memória) e têm poder negocial. Os operadores têm todo o interesse em mantê-los também nos seus pacotes de canais, logo poderá nem haver redução dessas receitas. Mas se houver, será que o interesse público não vale esse hipotético custo adicional?

Contudo o insulto final poderá acontecer em breve, quando for disponibilizado o Canal Parlamento na TDT. A casa que é incapaz de salvaguardar o interesse público tornando a disponibilização da RTP Memória e RTP Informação na TDT (já reclamada por muitos) uma realidade, será "recompensada" com a presença do seu canal de televisão na…TDT! Haja vergonha!

E, enquanto alguns políticos brincam com a TDT, os portugueses assistem cada vez mais à TDT espanhola. E, também os que moram longe da fronteira são por vezes brindados com boas condições de propagação que permitem receber os sinais da TDT espanhola, como aconteceu no passado sábado. Foi o caso de parte do litoral, onde foi possível receber dezenas de canais gratuitos de televisão e rádio, de cobertura nacional, regional e local, públicos e privados, emitidos a partir da Galicia. Como já referi em diversas ocasiões, a TDT espanhola oferece aos cidadãos canais para todos os gostos e idades. É assim possível a muitos comprovar os motivos porque a TDT espanhola é um caso de sucesso e em Espanha foi possível fazer a migração sem ameaçar os cidadãos, ao contrário do que sucede em Portugal. Enquanto a TDT espanhola avança com novos canais e novos serviços, por cá, a TDT está parada há praticamente três anos, vítima de alguns interesses e da actuação desastrosa das autoridades “responsáveis”.

É absolutamente escandaloso que nem sequer um Mux completo seja utilizado! Terminada a fase de migração, Portugal utilizará apenas 2,5% (leu bem, dois virgula cinco porcento) do espectro livre de UHF atribuído a emissões de televisão e cerca de 30% desses 2,5% são utilizados para emitir um canal “fantasma” chamado Canal HD. A sabotagem da TDT portuguesa continua...

Algumas capturas de alguns das dezenas de canais espanhóis recebidos:



Actualização: Alguns números interessantes sobre a RTP Memória e RTP Informação

Pelo resumo acima pode constatar-se aquilo que há muito afirmei neste blogue, ou seja, os canais RTP Memória e RTP-N (agora RTP informação) representam um custo muito baixo para a RTP. Segundo dados de 2010, a RTP obteve cerca de 14 milhões de Euros de receitas pela presença de todos os seus canais nos operadores de televisão paga. Sabendo que a RTP Memória teve um share de apenas 1,4% (e a RTP Informação tem um valor semelhante), é um pouco estranho que se afirme que a disponibilização na TDT implique uma perda de receitas de 5,5 milhões de Euros, ou seja, 39% das receitas que a RTP obtém do cabo. Ou a RTP conseguiu contratos fabulosos com os operadores de televisão paga para a RTP Memória e para a RTP Informação, ou esta hipotética perda de receitas está muito mal calculada, como suspeito. E claro, é óbvio que com a presença na TDT o share dos canais aumentaria, pelo menos para o dobro, logo aumentavam as receitas com a publicidade. Atente-se também nos 11.8 milhões de Euros pagos à PT Comunicações, que é a responsável pela emissão do sinal de todos os canais da RTP. Como já afirmei em diversas ocasiões, os custos da emissão digital são muitíssimo inferiores à emissão analógica. Estimo que a PT tenha um custo total anual próximo dos 2.5 milhões de Euros com a emissão da TDT. Logo, o valor a cobrar por cada canal da TDT deverá ser bastante inferior e o hipotético aumento de custos de 3.5 milhões por canal referidos pela deputada carece de esclarecimento, como já solicitei. A bem da transparência a RTP deveria apresentar informação detalhada sobre o negócio dos seus canais pagos, como já solicitei, nomeadamente ao Provedor do telespectador, que ignorou a questão. 

A proposta do PCP será debatida na Assembleia da República no próximo dia 9 de Março da parte da manhã.

9/03/2012:
A proposta 167/12 do PCP (universalidade do acesso à televisão digital terrestre e o alargamento da oferta televisiva ) foi REJEITADA com os votos contra do PSD e CDS-PP. Votaram a favor o PCP, o BE e os Verdes. O PS absteve-se.
A proposta do 238/12 do PS (abertura dos canais da RTP Madeira e da RTP Açores na TDT) foi REJEITADA com os votos contra do PSD e CDS-PP. Votaram a favor o PS, BE e os Verdes. O PCP absteve-se.

Recebi ontem resposta da deputada Francisca Almeida (PSD) à mensagem que enviei em 27/02/2012.
Eis o conteúdo da mensagem recebida:

Exmos. Senhores,

O Partido Social Democrata acompanhou, desde a primeira hora, com muita preocupação a implementação da Televisão Digital Terrestre (TDT) em Portugal. Já na anterior legislatura alertámos para os sucessivos atrasos, nomeadamente, os que se reportam à informação da população.

Já nesta legislatura apresentámos um Projecto de Resolução que, uma vez aprovado conjuntamente com o de outros grupos parlamentares, conduziu à redacção conjunta da recomendação ao Governo que envio em anexo.

No que se reporta à introdução de mais canais na TDT devo dizer que, pessoalmente, considero que os conteúdos produzidos pela RTP, que são suportados por todos os contribuintes, deveriam ter nascido, desde o primeiro momento, em sinal aberto. É uma opinião que – reitero- é pessoal, não obstante conhecer os condicionalismos, nomeadamente de largura de banda, que se colocavam à data da criação dos canais de cabo.

Sucede que, no momento actual, a introdução dos canais da RTP na TDT importa acrescidos custos para os contribuintes e para a empresa que, recordo, integra agora o perímetro do Orçamento de Estado. Custos de transmissão e perda de receitas de cabo, já que é inverosímil a manutenção no cabo de canais existentes em sinal aberto.

Recordo que, aquando do lançamento do concurso, o anterior Governo optou por uma solução de transmissão em definição standard dos 4 canais, um quinto a concurso, e um canal em HD. A opção, à data, poderia ser a da introdução de mais canais, nomeadamente da RTP, mas a opção do anterior governo não foi essa, razão pela qual é agora muito onerosa a introdução de mais canais RTP.

Gostaria ainda de salientar que, apesar destes constrangimentos, foi possível, com o empenho dos grupos parlamentares e, particularmente da Sra. Presidente da Assembleia da República e do Governo, encetar diligências no sentido de colocar em sinal aberto o canal Parlamento, o que me parece essencial no sentido de permitir o efectivo escrutínio público da actividade dos deputados a todos os cidadãos.

Fico ao dispor para qualquer esclarecimento adicional.

Com os melhores cumprimentos,
FRANCISCA ALMEIDA
Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata

O conteúdo desta mensagem motivou a minha resposta:

Exma. Srª deputada Francisca Almeida,
Agradeço a sua resposta, embora a mesma não responda de forma fundamentada às questões que coloquei, relacionadas com os alegados custos adicionais com a emissão da RTP Memória e da RTP Informação, em canal aberto na TDT. Lamento também que o partido do Governo tenha hoje chumbado uma proposta no sentido de garantir o acesso de todos os portugueses a esses canais.

De facto, a justificação que foi dada em 2004 para a não disponibilização da RTP Memória em canal aberto foi a falta de espectro. Na verdade esta justificação não convenceu quem é conhecedor destas matérias, pois muitos outros países fizeram uma gestão do espectro que permitiu o funcionamento de muitos mais canais analógicos. As verdadeiras razões foram de natureza política e económica. Aliás, com o passar dos anos as “desculpas” dadas foram-se alterando, primeiro foi a falta de disponibilidade de espectro, depois foi a falta de licenças e agora que há espectro livre na TDT, são os alegados custos excessivos.

A sua afirmação relativa à alegada perda de receitas do cabo, dado que «é inverosímil a manutenção no cabo de canais existentes em sinal aberto», não tem lógica. Como sabe, os canais emitidos em sinal aberto na televisão analógica e na TDT: RTP1, RTP2, SIC e TVI, também são emitidos no cabo (e DTH e IPTV). Segundo a sua argumentação, então também não faria sentido eles serem emitidos no cabo! Claro que faz sentido, e por isso eles são também emitidos nas plataformas de televisão paga.

Como tenho afirmado, a presença da RTP Memória e RTP Informação na TDT não implica a saída das plataformas pagas, nem consequentemente a perda total de receitas obtidas pela presença nos operadores de televisão paga. É do interesse dos operadores de televisão paga “oferecer” aos seus clientes o maior número de canais e de preferência em língua portuguesa logo, o abandono das plataformas pagas está fora de questão. A argumentação utilizada também não tem em consideração o natural e considerável aumento do share dos canais com a disponibilização dos canais também na TDT.

Quanto á questão dos custos de transmissão que refere, trata-se de uma falsa questão. Como afirmei e é sabido, os custos da transmissão digital são muitíssimo inferiores à transmissão analógica. É uma das principais razões que levaram à multiplicação de canais (públicos, privados, nacionais, regionais e locais) com a migração para a TDT. Isto nos outros países, claro! Portugal é a excepção! Agora já não há desculpa Sr.ª deputada!

Segundo informação divulgada recentemente, a PTC cobrará 800 mil euros por ano, por 1 Megabit/s de largura de banda na TDT. É possível transmitir um canal de televisão como a RTP Memória ou a RTP Informação com boa qualidade de imagem e som utilizando apenas 2 Megabits/s. Ou seja, os custos de emissão seriam de apenas 3,2 milhões de euros para os dois canais e não os 7 milhões que a Sr.ª deputada referiu na sua entrevista.

Estranho também que a opção do Governo anterior seja referida como impedimento que não permite corrigir o que foi mal feito. Sr.ª deputada, quando um canal de televisão ganha uma licença fica obrigado a arrancar com as emissões num determinado espaço de tempo, se não o fizer arrisca-se a perder a licença! O Canal HD foi objecto de alguma licença de emissão? A quem foi atribuida? Há 3 anos que não funciona (nunca funcionou nos moldes previstos) e as autoridades nada fazem? Esse espectro (cerca de 30% do total do Mux A) não deveria reverter imediatamente para o Estado e ser utilizado pela televisão pública ou então leiloado? 

Como vê, a disponibilização da RTP Memória e da RTP Informação na TDT é possível e não implica o aumento de custos que o governo alega. O alegado aumento de custos para os contribuintes não pode funcionar como desculpa para se manter dois canais classificados de interesse público num exclusivo das plataformas de televisão paga. A crise não pode servir de desculpa para tudo!

Com os melhores cumprimentos,

13/03/2012:
Bem a propósito as criticas que tenho lançado a propósito do Canal HD. Parece que finalmente alguem se lembrou de que existe um canal de televisão que está atribuido mas não emite! A ERC finalmente abordou a questão do Canal HD da TDT e diz que vai intervir, mas não diz quando. Como tenho lembrado, RTP, SIC e TVI não se entendem há 3 anos, mas ninguém tem mexido uma palha para resolver o assunto. Na realidade nem RTP, nem SIC nem TVI estão interessadas no Canal HD. A única preocupação das estações é que o espectro não seja utilizado para a entrada de novos canais concorrentes. E o Governo continua a assobiar para o lado desculpando-se com a trapalhada que o governo anterior fez. Quem está "esquecido" do assunto pode consultar vários posts sobre o assunto, por exemplo este ou este.

Posts relacionados:
Comparativo TDT portuguesa / TDT espanhola
Anacom "estuda" possibilidade de mais canais na TDT
Introdução da TDT foi criticada no Parlmento
TDT: Blogue TDT em Portugal apelou ao Governo
TDT: problemas de recepção

58 comentários:

Netshark disse...

Não há muito mais a acrescentar ao que disseste. O problema sempre foi politico, talvez económico mas nunca técnico.
A PT não quer perder quota de mercado com a TDT e tem um lobby forte qb para fazer valer politicamente a sua vontade, usando esta oportunidade para ter mais clientes no meo.
A anacom é como sempre, uma anedota que serve interesses instituídos e não a vontade nacional expressa pelos Portugueses. Devia de ser completamente independente do ponto de vista politico e económico, mas vive destes expedientes.
Os políticos servem os accionistas da pt, pois no fundo, muitos são a mesma coisa, ou estão intimamente próximos.
Há e sempre houve muita promiscuidade entre estas 3 partes e isto destrói qualquer desenvolvimento positivo das telecomunicações que seja contrario aos interesses destas entidades.

ra20 disse...

A vergonha da TDT continua. Estes politicos continuam a decidir sem vergonha na cara. Quando chegar a altura das eleições a gente conversa...

t0nito disse...

Só tenho uma coisa a dizer, cada vez tenho mais vergonha de viver neste buraco...

Marco Rodrigues disse...

Para dizer a verdade a maior parte da programação internacional dos canais espanhóis (como o Top Gear na 1ª imagem) em Portugal passam nos canais pagos ou nos generalistas às tantas da madrugada.
Como é que para ver um simples programa em Portugal (como o Top Gear) é preciso ter TV paga?
Ao que nós chegamos...
E já para não falar nas horas de publicidade que os nossos canais passam (a TVI nem se fala...)
Vejam a TDT espanhola se tiverem oportunidade e se ainda não viram. Depois comparem com a nossa TDT.

Pedro Viana disse...

Facil de explicar o chumbo:

Pinto Balsemão. Figura histórica do PSD e dono da SIC, não lhe convinha nada que o seu partido aprovasse que um canal concorrente da SIC Noticias passasse a ser disponível gratuitamente.

EDUARDO disse...

Sra. Francisca Almeida, vou lhe dar mais alguns números:
Os serviços tv paga entregam à rtp 5,5 milhões, nos entregamos cerca de 120 milhões/ano (taxa audiovisual) e temos de lhe pagar as dívidas. A par disso, a rtp informação usa os estúdios e os jornalistas que temos de pagar, e a rtp memória usa património da história da rtp que todos tivemos de pagar. Contudo, no caso desta última, mesmo sendo cliente da tv paga não me garante que vou ter acesso a este canal. Estes canais ou passam a ser de todos, ou que sejam privatizados.
Agora vou ajudar Sra. deputada a arranjar dinheiro:
Os 300 milhões que vão para BPN dão para pagam a cobertura de uma mux completa durante nove anos, ou seja, 3,5 milhões *9 canais*9 anos=283,5 milhões euros;
Pode ainda poupar 7 milhões com rtp internacional e rtp africa, caso esteja a pensar colocar esses canais na tdt, não vale a pena estar repetir a rtp 1 em mais canais.
Curiosidade
Negócio do estilo BPN: no analógico uma mux rendia à pt 3,5 milhões/ano, ou até menos, agora a mesma mux vale 31,5 milhões/ano (3,5*9 canais=31,5).
Já agora, com o aumento do números de canais até nove, mux completa, vai aumentar os custos de manutenção mux à pt?
Sra. Deputada, nas próximas eleições, eu vou lembra-me de si…

RJSC disse...

Parece que em Lisboa ou perto há pessoal a receber a TDT Espanhola com um agregado (array) de 4 ou mais antenas yagi em paralelo.
Alguém da zona de Aveiro tentou obter receção estável utilizando esta técnica (com 4 ou mais antenas) ou é um técnico de instalação que tenha em stock 4 ou mais antenas para testar?

Miguel disse...

Mas só o PCP é que é oposição em Portugal? Ah pois é, já me esquecia do PS, mas este anda caladinho que nem um rato porque tem o "rabo" preso pela merda que fez com o lançamento da TDT (que deixou o actual governo de mãos atadas) e que levou à situação em que ela se encontra actualmente.

David disse...

O nosso Governo é um governo com ideias e atitudes economicistas. Este Governo só pensa no lucro imediato sem olhar a meios para atingir esses fins.

É um Governo pobre de mentalidade.

Nós se calhar é que estamos errados. Se calhar a TDT é apenas uma imposição de Bruxelas e nada mais do que isso e o Governo apenas está formatado para tirar dividendos disso.
Quem quer ter mais canais que pague... limpinho.

Só acho estranho é isto estar apenas acontecer no nosso país. Não percebo porque é que lá fora é tudo tão diferente????
De certeza que os Governos de outros países estão certamente errados (pensará o nosso Governo). Perderam a cabeça...
De certeza que lá fora as plataformas pagas faliram, mudou tudo para a TDT e, no limite, Bruxelas é responsável pelo (suposto) drama das plataformas pagas com TDT generosa.

É tudo ridículo, assim como este Governo patético e infeliz.

Em suma: será que o Governo deste país está bem sintonizado?

Bruno Dias disse...

Excelente texto, a contribuir para a desmistificação que é indispensável fazer de toda esta vergonhosa operação.
É na sexta-feira dia 9 de manhã o debate no Plenário da AR sobre esta matéria. Até esse dia (mas também depois desse dia) temos de continuar a agir e a exigir que o interesse das populações seja o critério fundamental.
(só peço sinceramente uma coisa, a propósito de alguns comentários que surgem: quando se fala sobre "os políticos", por favor não se ignore que há quem continue a agir de forma diferente - isto não é tudo igual!)
Bom trabalho!

Yagi disse...

Peço moderação na linguagem utilizada. É possível expôr-mos os nossos pontos de vista de forma educada. Não adianta discutir se o maior culpado é o governo anterior ou o actual.

Yagi disse...

Receber a TDT espanhola em Aveiro ou em Lisboa, de forma estável, está fora de questão. É demasiada distância e ficam abaixo da linha de vista.

Yagi disse...

Caro Sr. deputado Bruno Dias,
Obrigado pela informação relativamente à data do debate e obrigado também pelo seu empenho na discussão da temática TDT. Pena que estes assuntos não tenham merecido maior atenção há mais tempo. Esperemos que (pelo menos) o debate sirva para obrigar o Governo e/ou a RTP clarificar a sua posição de recusa de tornar acessível a todos dois canais que estão classificados de interesse público e a total ausência de aposta na TDT por parte da RTP, algo que no meu entender já assume dimensão de escândalo.

EDUARDO disse...

NÃO SE É VERDADE...

Preço: Cada generalista deverá pagar 2,4 milhões por ano à PT
Canais descem factura com TDT
A passagem do sinal analógico para o digital vai permitir aos canais generalistas uma poupança superior a um milhão de euros anuais. De acordo com informações recolhidas pelo CM junto de fontes conhecedoras do processo, a Portugal Telecom (PT), responsável pelo transporte do sinal, vai cobrar a cada estação 800 mil euros anuais por cada megabyte (MB) de largura de banda utilizada, estando previsto que cada canal utilize entre 2,5 e 3 megabytes de largura de banda, o que significa 2 a 2,4 milhões de euros.
Este valor está substancialmente abaixo do praticado no sinal analógico, onde o transporte de cada canal oscilava entre os 3,5 e os 4 milhões de euros por ano, sendo que a TVI tinha uma rede própria, a RETI (vendida à PT).
Mas os canais generalistas não estão ainda satisfeitos e pretendem reduzir o preço, já que não vão utilizar, pelo menos nesta fase, toda a capacidade de largura de banda que lhes está destinada, nomeadamente com a não adopção imediata do som Dolby 5.1 e do teletexto de última geração. O que pode reduzir até 0,8 MB – mais de 600 mil euros – o consumo por canal. Ao que o CM apurou, a PT não se tem mostrado disponível para descer o valor, já que o espaço está destinado aos canais e, mesmo que não seja utilizado por eles, não será comercializado. Até ao fecho desta edição, não foi possível obter um comentário da RTP, SIC e TVI, bem como por parte da PT.

FONTE:http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/lazer/tv--media/canais-descem-factura-com-tdt

André disse...

Yagi as contas são simples.
O ministro relvas já falou delas...

É que para o PSD-CDS TODOS os funcionários que trabalham nos canais RTP Memória e Rtp Informação recebem o ordenado por esses canais. Mesmo que só 5% deles trabalhem em exclusivo para esses canais. Pois todos os outros são funcionários da RTP e trabalham para todos os canais da RTP.
É disso que a sra deputada está a falar e apresenta esses custos como sendo parte dos custos fixos dos canais.
Não acham interessante que o anterior governo tivesse pedido à RTP para disponibilizar os custos de cada um dos seus canais... e o atual governo, ao aprovar o plano de reestruturação, eliminou esse pedido? (mesmo que tivessem passado 2 anos sem que a RTP apresentasse o valor...)

É que os operadores de cabo pagam também para emitir os 4 canais nacionais (é um valor pequeno pois é obrigatório emitir os 4 em qualquer plataforma).

Depois temos uma coisa engraçada.
Vejam os panfletos que a Zon e o Meo andam a distribuir. Agora surgiu um novo pacote com todos os canais "nacionais" por 19.99€ para concorrer com o de 9.99€ que só tem os 4 canais.
Ora se a RTP Memória e a Rtp Informação passassem para a TDT, a Sic iria querer que a SIC Notícias também passasse a estar disponível na TDT. (a TVI é diferente pois o canal de notícias é totalmente baseado para o cabo, o que exigiria uma alteração de estruturas do próprio canal)

Só com isso, as operadoras iriam perder alguns euros por mês nesses pacotes...

Depois há outro promenor que é pouco falado e que é esquecido para isto.
É que cada um dos canais que se encontram nas operadoras de cabo têm entre 1h a 5h diárias em que a publicidade é da operadora. Todos os anúncios passados nesses espaços são pagos à operadora de cabo e não aos operadores de televisão.
Sendo que esses espaços não são controlados pela emissora. Com a emissão na TDT, esses espaços estariam livres para publicidade externa ou a pequenos clips (coisa que é muito usada em Espanha e nos países americanos) que podem ser educativos ou publicitários.

As operadoras nunca perderiam muitos clientes pois há muita gente que já usa as opções triple ou duo que estão ligadas a essas operadoras. A TV acaba por ser um extra.
Claro que isto tudo é atirado para baixo do tapete pois a PT aproveita esses canais pagos pela própria publicidade que é lá colocada para promover os seus serviços pagos.

PS- A PT e o governo já decidiram lançar o canal parlamento no ínicio de Maio na TDT na posição 8. Sendo que é possível que durante o mês de março se comecem a efectuar testes nos principais emissores nacionais e durante o mês de Abril já esteja disponível em vários emissores.

Yagi disse...

Se há custos com funcionários imputados a 100% aos canais RTP Memória e RTP Informação quando os funcionários em questão não trabalham em exclusivo para os canais, é um procedimento incorreto.

Desconheço qualquer pedido do anterior Governo à RTP para fornecer os custos dos seus canais. Pode informar quem e quando fez esse pedido?

«Sendo que é possível que durante o mês de março se comecem a efectuar testes nos principais emissores nacionais e durante o mês de Abril já esteja disponível em vários emissores.»

Essa informação não faz qualquer sentido uma vez que o sinal é inserido no multiplexer em Monsanto e fica automáticamente disponível em toda a rede ao mesmo tempo. Nem seria sequer técnicamente possível fazer o que diz porque, uma vez que se utiliza rede SFN, todos os emissores têm que emitir exactamente o mesmo, como já comentei a propósito de outra questão.

Yagi disse...

A utilização da rede TDT é cobrada por Megabit de largura de banda (bitrate médio) e não por Megabyte, como informei em post anterior. Os valores cobrados, 2-2.4 milhões, a serem correctos, parecem-me demasiado altos.

EDUARDO disse...

Peço desculpa de colocar aqui notícias de jornais mas esta ajuda muito a compreender como a tdt está a ser usada. SERÁ QUE A ENTIDADE RESPONSÁVEL PELA DEFESA DA CONCORRÊNCIA Ñ DEVIA SER CHAMADA AQUI?
"Num encontro com jornalistas, após a divulgação dos resultados anuais da Zon Multimédia, o administrador financeiro, José Pereira da Costa, disse que o desligamento do sinal analógico de televisão gratuita em Portugal foi "uma oportunidade" para a empresa, no último trimestre de 2011.
O quarto trimestre foi o "melhor trimestre de crescimento desde o primeiro trimestre de 2008" para a Zon, ao registar um aumento de 12,8 por cento de adições líquidas da base de televisão por subscrição.
Neste período, a operadora ultrapassou os 700 mil clientes de serviços 'triple play' (oferta de televisão, internet e telefone fixo), atingindo os 708,7 mil, com 60,1 por cento de penetração."
fonte:http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/lazer/tv--media/fim-do-sinal-analogico-de-televisao-gratuita-foi-oportunidade-para-a-zon
É IMPORTANTE TB REALÇAR, SEGUNDO O ACTUAL GOVERNO, OS CUSTOS COM PESSOAL ULTRAPASSAM OS 100 MILHÕES DE EUROS. ESTES CUSTOS TB DEVEM SER IMPOTADOS AOS CANAIS DE CABO DA RTP.

Yagi disse...

É claro que o fim da televisão analógica é uma oportunidade de ouro para os operadores de TV paga, isso já foi afirmado inúmeras vezes neste blogue. Com os mesmos 4 canais de sempre, custos elevados da migração, dificuldades de recepção em muitas zonas, falta de informação atempada e de qualidade, publicidade que apela mais à adesão à televisão paga que à TDT, o que se esperava? A ZON ganhou muitos clientes e o MEO deverá ter ganho ainda mais. Até ao fim do Switch-off ainda vão ganhar muitos mais. Os únicos que perdem com esta TDT são os cidadãos, como se sabe!

Anónimo disse...

O problema de Portugal e todos os iluminados perceberam que se trata mesmo de um problema politico já alguem dizia que falar com um politico é uma inultilidade.

Anónimo disse...

Caro Sr. Deputado Bruno Dias, certamente que colocar todos os políticos na mesma cesta não é o mais correcto de se fazer. Mas todos os políticos metem os portugueses sempre na mesma trampa. Primeiro vêm os interesses dos Srs. deputados, seguido das instituições(públicas/pivadas), e só muito lá no fim(como que quase esquecido, señ esquecido mesmo) vêm os interesses das populações. A TDT para alguns passou a ser uma bandeira para declarar que no passado lutou. Será que os interesses revertem mesmo a favor do povo ou é apenas um assunto para incluír no CV? O que eu tenho visto mais é só falar, falar, falar. Quando se anda a discutir muito um assunto é sinal que nunca essa pasta será alterada, a não ser que a tal pessoa(deputado) que tenha insistido na tal matéria mude de partido e chegue a fazer parte de um governo. Porque alguém andar num partido apenas opositor ao governo, sem qualquer peso na assembleia é o mesmo que nadar contra a corrente. Peço desculpas por ter sido inconveniente em alguns aspectos, mas ando cansado que façam joguete da vida dos portugueses.
Yagi, continua assim... tens feito algo por nós, apenas com uma ferramenta tão simples, mas mesmo incisiva no que respeita ao atropelo dos interesses dos menos favorecidos. Quando o assunto é encher os bolsos, muitos deputados já lá estão a encher os deles com as negociatas e compras de ações de empresas que vencem sempre independentemente de estarem ou não a ser leais com a concorrência, para eles o lucro é tudo. ;)

Marco Silva disse...

Vivo no Funchal (Ilha da Madeira), a cerca de 550 Km das Ilhas Canárias.

Nos tempos da TV analógica e em dias de bom tempo, conseguíamos captar a TVE de Canárias, com uma antena exterior.

Também quando as condições são de feição, conseguimos apanhar várias rádios em FM daquele arquipélago (especialmente da ilha de Las Palmas).

Será que, nas mesmas condições,é possível captar a TDT espanhola? Ou o tipo de tecnologia não permite o sinal viajar a longas distÂncias? Tenho visto relatos neste blog de pessoas a apanhar a TDT espanhola em sítios como Aveiro, Lisboa, etc.

Obrigado pela atenção.

P.S. - Aproveito para elogiar o excelente trabalho do Yagi em prol de uma melhor TDT em Portugal.

Yagi disse...

A zona da Ilha da Madeira e Ilhas Canárias beneficia com grande frequência de condições de propagação muito boas que permitem receber rádios e televisão a grandes distância. Será certamente possível receber TDT das Canárias (e até de África) durante os períodos de melhor propagação. O sistema utilizado na modulação dos sinais não inviabiliza a propagação a grandes distâncias.

Yagi disse...

A proposta 167/12 do PCP (universalidade do acesso à televisão digital terrestre e o alargamento da oferta televisiva ) foi REJEITADA com os votos contra do PSD e CDS-PP. Votaram a favor o PCP, o BE e os Verdes. O PS absteve-se.

A proposta do 238/12 do PS (abertura dos canais da RTP Madeira e da RTP Açores na TDT) foi REJEITADA com os votos contra do PSD e CDS-PP. Votaram a favor o PS, BE e os Verdes. O PCP absteve-se.

Anónimo disse...

O que significa: "universalidade do acesso à televisão digital terrestre e o alargamento da oferta televisiva"?
RTP memória e RTP Informação?
Ou algo mais? Em que consistia concretamente a proposta do PCP?

Anónimo disse...

E mais uma vez os interesses dos Sr. Deputados ficaram salvaguardados. Assim todos os anos vão receber avultados dividendos e act... ups, ativos das empresas de tv paga e afins, todos falam do serviço meo e zon mas esquecem-se também que existe a cabovisão, ar telecom e por aí fora, mais pequenas mas não menos importantes quanto as outras no que diz encher bolsos a gulosos. Exact... ups(de novo, maldito acordo ortográfico), exatamente meus caros, não há um único papel desses Srs. Deputados que não traga água no bico(para o bolso destes ou famíliares(and so on)) que os faça mover uma palha que seja para o povo ter melhor democracia. Democracia? Onde já vais, democracia. Isto é uma plutocracia na sua verdadeira ascenção. Bem, já desabafei o suficiente, não quero massacrar os coitadinhos dos deputados. Nem todos são maus, são é interesseiros. Bem, a tdt há-de ser uma grande coisa, nem que seja no papel ou visto ao microscópio.

Yagi disse...

Está disponível ligação para a proposta do PCP no inicio do post.

Artigo 3.º
Canais de difusão obrigatória
O serviço universal de televisão digital terrestre previsto na presente lei abrange obrigatoriamente:

a) Todos os canais que integram o serviço público de televisão, incluindo os canais de âmbito nacional, internacional e regional, bem como os demais canais difundidos através das plataformas de televisão por cabo.

b) Os canais dos operadores privados nos termos legalmente e contratualmente estabelecidos.

c) O Canal Parlamento, mediante deliberação da Assembleia da República.

Miguel disse...

O PS, como seria de esperar, absteve-se na votação da parte mais importante da proposta. Quem não os conhecer que os coma.
A outra proposta (a sua) de meter a RTP Açores e Madeira também na TDT do continente foi mais um fait divers do que outra coisa, porque são canais que têm pouco ou nenhum interesse para os continentais.

Nota: nenhum texto meu será jamais escrito segundo o novo Acordo Ortográfico.

Anónimo disse...

Meu segundo comentário hoje, e desde já boa réplica yagi à exma. deputada. Sinto uma enorme repugnância com este tipo de gente, principalmente quando usam linguagem que impede ao mais simples cidadão de entender o que quer que eles estejam a dizer. Bem, se o mal é das calças, mudam-se as calças... depois o mal já é da camisa e quando se muda de camisa eis senão que afinal o mal é dos sapatos... solução: Muda-se a pessoa que é quem mais está incomodada! É exactamente(agora sem acordo ortográfico nojento) isto o que esta gente do Hemiciclo nos tá a querer fazer. Imporem uma treta de tdt para nos calar a boquinha, senão desliga-se tudo e quem quiser ver televisão que pague assinatura ou compre uma parabólica! >:( <-Cara deles mauzões.
Será que também nos querem dar tau-tau? :-S Era o que mais faltava. :D

David disse...

É a vergonha de todos os tempo...
Querem dar migalhas ao povo dando este o canal Parlamento quando de direito já lá devia de estar juntamente com os dois canais da RTP (Memória e Informação).

Mas afinal de contas está um povo de 10 milhões de pessoas condicionado por "um dúzia" de deputados?

Mas que porra é esta?

Pedro Viana disse...

Curioso... a resposta da deputada Francisca Almeida é um copy/paste de uma resposta genérica que já foi enviada para várias pessoas. Nem uma virgula modificada. Vá ao blog do Sergio Denicoli http://tvdigital.wordpress.com

Marco Silva disse...

Se a preocupação é a perda de receitas da RTP, coloquem a Euronews na TDT.

Os custos de transmissão são os mesmos e até podiam cobrar uma "renda" à Euronews.

Quem diz Euronews, diz BBC World, Al Jazeera, CNN...

E porque não os canais de rádio da RDP, com melhor qualidade de som que o FM? Com o fim do DAB, voltavamos a ter rádio com elevada qualidade. E sem perda de receitas nas plataformas pagas...

COVINET disse...

Enquanto se chumba por cá,lá fora(Espanha)acrescenta mais um.O Paramount Pictures entra jà em Abril 2012 e a transmitir livre.

Marco Rodrigues disse...

Se a proposta do PCP fosse aprovada é que nós estranhávamos.
Seja como for não há maneira de conseguirmos mais canais para a TDT.
Querem um conselho? Durante o dia desliguem a TV e façam exercício físico, que a saúde agradece. De noite, comprem uns DVDs ou uma consola e não vejam TV.
Pode ser que assim os canais tenham prejuízo e coloquem mais canais.

Anónimo disse...

Afinal é tudo Treta!!

Lucros da RTP aumentam para 18,9 milhões de euros em 2011

http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=543613

Yagi disse...

Pelo teor da resposta (enviada a várias pessoas), a deputada não deve ter "perdido" muito tempo a (não) responder às questões que lhe foram colocadas. Duvido que esteja devidamente informada sobre estes assuntos.

Chegam mais longe e mais depressa na sua carreira agradando aos lobbies da Pay TV e aos "magnatas" dos media do que fazendo o que está certo. Depois, em época de eleições, vêm com discursos moralistas apelar para os cidadãos votarem. Que hipocrisia!

Anónimo disse...

Exactamente yagi, isto de deputados tem tudo água no bico, eles não estão lá por amor ao povo... estão lá para encher bolsos e encher papos. ^_^
Andam de papo cheio, a mandar umas boquinhas uns aos outros só para parecer que andam muito preocupados. No fim dos trabalhos vestem o seu casaquinho marca Hipócrita e vão todos almoçar/jantar e conversar(e sabe-se lá mais fazer o quê) como amigos de longa data. A promiscuidade desta gente não é de confiar... negociatas de uns com os outros e depois em plenário andam à "cacetada" verbal. Parece uma novela mexicana de mau enredo, mas é o nosso país. Caro deputado Bruno Dias, ainda não me deu o prazer de me retorquir, se precisar de um nome para colocar aqui avise, penso que se sinta inibido quanto a um anónimo. Bem haja para a televisão portuguesa, nem que venha de Espanha, porque deste país uma grande tdt só nos outdoors de grandes cidades a ameaçar o povo que ficará sem televisão. :)

David disse...

Mas é mesmo isto que não percebo???

Como é que o modelo espanhol não serve de exemplo? Será que a TDT espanhola faz perder a sustentabilidade das plataformas pagas? Não me parece.

Mas que raio de gente é esta que governa?

Que se serve de desculpas típicas de gente acomodada e incompetente.

Caramba, não há uma televisão minimamente interessada em querer mostrar esta vergonha?

Alguém que mostre claramente esta novela ridícula que é a TDT Portuguesa?

Snarf disse...

Infelizmente já aqui viste que os políticos portugueses só se preocupam com as suas algibeiras e com o seu futuro pós-poleiro.
Sendo que as empresas de media nacionais são as 2 maiores empregadores de antigos políticos (sendo o 1 as universidades), então há que agradar aos principais e começar a preparar o futuro.

Sendo que uma das razões que os vendedores dos operadores de cabo apresentam (e que foi capa de muitos anúncios durante alguns anos) é a possibilidade de aceder à Rtp memória para "relembrar os programas de televisão e estrelas passadas".

Curioso é que este governo adquiriu TODO o arquivo audiovisual da RTP por 150 milhões de euros. Portanto, neste momento o governo é o dono de grande parte dos conteúdos da RTP Memória e não a RTP. Sendo que, usando a resposta da sra deputada, temos que a RTP também deve estar a pagar um valor para poder usar o conteúdo desse arquivo.

Agora a pergunta é simples: Durante mais de 30 anos, os portugueses pagaram os conteúdos televisivos produzidos pela RTP. No momento em que se está a preparar a privatização das principais estruturas da estação o governo "defendeu o interesse nacional" ao retirar o arquivo das mãos da RTP. Então e a utilização desse arquivo para impulsionar a mudança tecnológica e beneficiar o "interesse público" já não serve?

Só gostava de saber era se os canais estão também a pagar a sua parte do canal HD... que só emite o ecrân negro. É que quando foram anunciadas as negociações para a emissão tripartida foi dito que os custos estariam a ser pagos pelos canais em partes iguais. Sem entendimento para essa emissão, será que a PT também continua a receber o dinheiro por emitir um canal que só tem a tela negra?

Yagi disse...

As televisões portuguesas são parte do problema, como tenho referido em diversas ocasiões. Elas defendem os seus interesses. Basta ter em consideração os exemplos do Canal HD e a posição que tomaram quanto ao destino a dar ao espectro livre após a desistência da PT da televisão paga na TDT, para todos perceberem que não têm feito outra coisa senão "empatar" para impedir uma decisão que resulte numa oferta alargada de canais FTA.

Consultem:
TDT HD em Portugal: realidade ou ilusão?

Yagi disse...

«Durante mais de 30 anos, os portugueses pagaram os conteúdos televisivos produzidos pela RTP»

Exactamente, como já aqui foi dito, praticamente todo o material exibido pela RTP Memória foi (e continua a ser) pago pelos contribuintes, através das antigas licenças de televisão e dos subsídios do Estado à RTP. Ao atribuir-se o exclusivo da RTP Memória às plataformas de TV por subscrição está-se a impedir que todos possam ter acesso aquilo que já pagaram.

Por vezes é útil recordar alguns posts e comentários do passado:

3 de Junho de 2009
A TDT, o servico público e a lenda do cavalo de Tróia
23 de Março de 2009
TDT Portuguesa: incertezas e contrariedades

balsagode disse...

Uma coisa engraçada que li hoje, o Zeinal Bava anunciou que até ao final do ano a cobertura da rede 4G da PT será mais de 90% do território nacional ... sendo que o "compromisso" da PT para a cobertura nacional da TDT foi de 87%.

Yagi disse...

O 4G vai dar muito dinheiro a ganhar à PT (e aos outros operadores), dai a pressa lançar o 4G. A TDT gera poucas receitas (directamente) por isso os objectivos iniciais de cobertura foram baixos. Mas o CEO da PT deve estar a referir-se a percentagem de população e não a percentagem de território.

Marco Rodrigues disse...

O 4G chega a 90% do território nacional, mas não é a 100Mbps. Em 50% do território provavelmente nem chega a 10Mbps. Isso deve ser como a publicidade da Fibra do meo, que é a maior rede da Europa, quando na realidade nem a minha casa chega (eu não vivo no meio da floresta, só por acaso).

David disse...

Yagi,

Nunca é demais agradecer pela existência do teu blog.

Quanto ao último post sobre a questão levantada da ERC, eu ainda não percebi uma coisa: estas entidades manifestam-se às prestações?

Não quero com isto dizer que este tipo de posições não devam acontecer, aliás, como sabemos são bem-vindas; pena é não virem em grande número. Teria sem dúvida outro impacto.

Quanto ao Governo serei, num futuro próximo, um cidadão mais consciente das minhas opções políticas.
Ainda não "engoli" a desculpa dada por uma deputada a referir que a culpa é do anterior Governo e por isso pouco ou nada pode ser feito.

Inadmissível... querem enganar quem?

Pelo menos agora temos uma evidência da acção deste Governo para com a TDT.

Na hora das eleições acertamos contas.

Quanto ao CEO da PT, cada vez que o vejo, dá-me náuseas.

Por isso já desisti, há muito, do MEO e espero nunca voltar a ser cliente de nenhuma empresa do grupo.

Ando fartinho desta teia montada do Governo-PT-ANACOM e demais parasitas sobre a questão da TDT.

Nuno disse...

Pela falta de noticias, está visto que o assunto TDT está morto e enterrado. Só se deve voltar a falar do tema próximo do dia 26 de Abril, prevejo que o canal ArTV seja lançado próximo dessa data para abafar as criticas.

Yagi disse...

Se não fosse a aversão de quem nos governa ao dia 25/04, a minha aposta seria para esse dia. Assim, é provável que seja apresentado à Nação no dia 26/04, como exemplo do incasável "esforço" do Governo, PT e AR em oferecer aos portugueses uma oferta melhorada de canais!

Anónimo disse...

Como é que isto é possível
DISNEY CHANNEL,que há poucos anos era um canal premium nos operadores cabo portugueses, está a ser emitido na TDT espanhola. Este país é incrivel, para nao falar do DISCOVERY CHANNEL na TDT Espanhola.

Castro Sousa disse...

Tenho novidades sobre o novo canal Parlamento para a TDT.
Infelizmente o contrato que foi alterado em Junho de 2011 entre o estado português e a PT, tem uma claúsula que não permite a entrada de mais nenhum canal para o MuxA.
Para que o canal parlamento seja disponibilizado no MuxA terá de existir uma alteração a esse contrato... E o governo não quer pedir a renegociação do contrato.
O ministro Miguel Relvas tem estado a tentar que a PT faça essa alteração sem ser necessário a intervenção direta do governo.
O problema é que a PT não está interessada nessa alteração básica pois iria permitir a disponibilização de mais canais a curto-médio prazo no MuxA.

Por outro lado, o governo não quer criar um novo concurso público para a venda dos muxs que estão disponíveis após a desistência da PT da sua utilização para serviços pagos.
Portanto estamos num impasse que parece não ser resolvido nos próximos anos. Segundo o contrato a próxima renegociação é só em 2015... por isso vai demorar até lá caso o governo não se mexa para resolver o futuro da TDT.

Yagi disse...

Desconheço a existência de qualquer contrato entre o Governo e a PT para além da licença de utilização do Mux A, de Dezembro de 2008 e que é válido por 15 anos. Desconheço também que tenha ocorrido qualquer alteração a essa licença.

Castro Sousa disse...

Essa licença tem um contrato agregado. (que devia ser público mas não é, pois incluí os valores que as televisões pagam para emitir na TDT)

Lá está incluída uma claúsula que de 3 em 3 anos poderá existir uma negociação entre a PT e o governo para o caso de existirem algumas alterações de mercado.
Também existe uma outra que diz que é permitido a PT alterar o espectro de emissão de acordo com o governo e acordo pelos canais generalistas com licença de emissão nacional.
Começa logo por aí porque o canal parlamento não tem licença de emissão nacional... coisa que o governo podia resolver em poucas horas.
O problema é adicionar esse canal ao contrato que está válido juntamente com a dita licença.
Como foi negociada a alteração (que não sei dizer o que foi mas posso tentar obter alguma informação sobre isso) em meados de Junho de 2011, só pela mesma altura ou posteriormente em 2014 é que existe possibilidade de nova negociação.
Como o governo diz que a PT não irá cobrar os valores descritos no contrato ao canal parlamento, só seria necessário adicionar ao contrato que existem 5 canais generalistas que lá podem emitir. Não sei é o que é que a PT terá pedido em troca de não receber o valor acordado para emitir esse canal... porque algo terá sido e será o que falta para a própria PT avançar com essa alteração e o governo poder dizer que foi tudo feito de comum acordo.
Tanto que já foram avançadas várias datas, sendo que ainda não está na lista de discussões do parlamento o pedido de licença para emissão em sinal livre do canal parlamento.

Yagi disse...

Se existem contratos secretos entre o Governo e a PT, é muito mau sinal! Há já demasiadas questões por responder no "negócio" da TDT. Continua ainda por saber quais as contrapartidas que foram dadas à PT para esta fazer o reforço de sinal para além dos 90%. Srs deputados, investiguem!

Anónimo disse...

Pedir aos deputados para investigar é o mesmo que pedir ao pápa para acabar com a fome! Com estas comissões parlamentares o que é que foi apurado? O que foi feito? Quais poderes executivos que estas comixões parlamentares têm? Parece mais uma feira das vaidades de autenticos inexperientes e sem quaisquer bagagens políticas! Pedir a um deputado pra investigar é o mesmo que pedir a um estranho que nos guarde dinheiro. P mais certo é ficar de mãos a abanar.

Castro Sousa disse...

Ele só é secreto porque têm lá os valores cobrados às televisões generalistas que, segundo as normas legais, não podem ser revelados por causa da lei da concorrência.
A alteração que foi introduzida em 24 de Junho de 2011 foi retirar do contrato a possibilidade da PT usar um dos canais para promover os seus serviços pagos de TDT. Para além disso, foi criada uma nova claúsula que permite à PT individualizar os contratos com as operadoras de televisão presentes no muxA a partir de Janeiro de 2013.
Isto tudo tem sido um motivo de discussão entre a ERC e o governo. Porque a ERC queria que se mantivesse o sistema inicial em que existia um contrato coletivo de emissão e o governo só passava as licenças de emissão para canais generalistas que teriam de pagar o valor descrito nesse contrato para emitirem dentro do espaço disponível.
Ao tornarem os contratos de emissão individuais, limitam ainda mais o mercado, pois a PT poderá pedir qualquer valor (mais alto ou mais baixo) a algum operador que queria emitir.

E continua o teatro do resto dos mux que estão disponíveis e que o governo não têm qualquer interesse.
O Dr Carlos Magno tem defendido que cada operador de televisão receba um dos mux que a PT abandonou e que o possam usar para a sua promoção. Sendo que o valor cobrado pela sua utilização estaria anexo ao valor pago pela emissão no muxa. E iria permitir que viessem a surgir serviços gratuitos ou pagos independentes.
Sendo que, também é pedido por vários partidos políticos, que 1 dos mux fique para as regiões, onde possa ser emitida só programação regional.
Infelizmente, TODOS os pedidos feitos para que exista uma alteração via assembleia da república tem caído em saco roto porque os partidos do governo NÃO QUEREM que exista nada de novo.
Uma coisa que corre pelos corredores é que a emissão experimental do canal parlamento deverá acontecer com as cerimónias do 10 de Junho... mas também já tinham dito o mesmo com o 25 de Abril.

Yagi disse...

O contrato pode (e deve) ser revelado, basta ocultar a informação comercial sensível. Relativamente à possibilidade da PT lançar um canal na TDT para promover o MEO foi aliás uma possibilidade que referi num post recente. Se essa possibilidade foi eliminada, acho bem. A licença de utilização do Mux A previa a devolução do espectro não utilizado à PT após 26/04/2012. As contrapartidas dadas à PT pelo Governo já estou mesmo "adivinhar": não admitir mais canais no Mux A para além do Canal Parlamento e não abrir concurso internacional para novos Muxes.

Anónimo disse...

estava a conversa com um amigo meu quando ele me diz que no serviço dele que uma operadora de canais pagos muito conhecida em portugal que o abordou a acederem ao pacotes vantajosos para eles em troca de nao falaram mais da TDT.todos os serviços publicos do estado tambem estao a ser abordados pelo mesmo esquema , em vez de pagarem tv como cliente normal eles oferecem varias instalaçoes dos organismos a um custo reduzido como oferta e combate a TDT. para o meu espanto parece que o proprio estado pactua com isso , dizem eles que é para reduzir custos .

Pedro Viana disse...

Dia 14 de Junho, na sessão plenária do Parlamento a partir das 15h na ordem de trabalho número 4:

http://www.parlamento.pt/ActividadeParlamentar/Paginas/DetalheIniciativa.aspx?BID=36941 Recomenda ao Governo a inclusão na Televisão Digital Terrestre de todos os canais de serviço público de rádio e de televisão de âmbito nacional previstos na lei e nos contratos de concessão, assim como a salvaguarda do princípio da orientação para os custos do serviço de transporte e difusão do sinal digital de televisão por via hertziana terrestre

http://www.parlamento.pt/ActividadeParlamentar/Paginas/DetalheIniciativa.aspx?BID=37012 Recomenda a inclusão na TDT de todos os canais de serviço público de televisão e o alargamento da sua rede de emissão terrestre

http://www.parlamento.pt/ActividadeParlamentar/Paginas/DetalheIniciativa.aspx?BID=37018 Recomenda a introdução na televisão digital terrestre de todos os serviços de programas que constituem obrigações do serviço público de rádio e televisão

http://www.parlamento.pt/ActividadeParlamentar/Paginas/DetalheIniciativa.aspx?BID=37061 e http://www.parlamento.pt/ActividadeParlamentar/Paginas/DetalheIniciativa.aspx?BID=37062 Canal Parlamento através da Televisão Digital Terrestre

+ info http://app.parlamento.pt/BI2/

Yagi disse...

Infelizmente, o destino destas propostas é o chumbo. Apenas a proposta relativa ao Canal Parlamento será aprovada. PS, PCP e BE, cada um apresenta a sua proposta e o PSD e CDS-PP votam contra. Estas propostas teriam o mérito de desgastar a posição do Governo se a comunicação social (TV, rádio e jornais) dessem destaque, o que não tem acontecido.