segunda-feira, 23 de março de 2009

TDT Portuguesa: incertezas e contrariedades (act.)

A televisão digital terrestre ainda não arrancou em Portugal, mas pouco ou nada parece estar a correr como planeado! Senão, vejamos:

A TDT paga "não ata nem desata"! O concurso está suspenso e em tribunal, devido à acção movida pelo concorrente AirPlus.

O concurso ao quinto canal ameaça terminar num fiasco! A ERC chumbou os dois concorrentes.

Dos anunciados receptores de TDT a 50 Euros, pouco se sabe! Agora já se fala em preços de 50-80 Euros!

Até o logotipo da TDT, que permitiria indentificar facilmente os equipamentos compatíveis, teima em não aparecer!

E queria a PTelecom antecipar o "apagão" analógico para Janeiro de 2011!

Desde o esclarecimento da Anacom sobre a TDT, pouco mudou. A maioria do comércio continua a vender LCD's anunciando que têm sintonizador TDT, mas ocultando o facto que o mesmo é compatível apenas com mpeg-2 e incompatível com a TDT portuguesa (que utilizará o MPEG-4). Durante largos meses ninguém se preocupou em informar qual seria a norma de compressão a utilizar! Recorde-se que, em 29/10/2008, o blog TDT-Portugal foi o primeiro media a confirmar que a TDT portuguesa iria utilizar o MPEG-4 em todos os Mux's. A 27-11-2008, e após insistentes pedidos deste Blog, sai finalmente a "bomba", ou seja, a oficialização por parte da Anacom. Desde então, nenhuma campanha de informação de massas foi levada a cabo. Depois, o Estado (todos os portugueses que pagam impostos), lá irá(?) subsidiar os necessários receptores...

A cobertura da TDT iria começar pelo litoral, mas tirando a região de Lisboa/Setúbal, ainda está tudo "às escuras" e, no entanto, está em testes na Guarda! A poucos dias do arranque das emissões "piloto" de TDT no continente e ilhas, continuam por divulgar as localidades ou regiões seleccionadas. Antes a informação estivesse sob segredo de justiça, pois dessa forma já todos estariamos informados! Ou será que nem a própria PTelecom sabe ainda onde estará tudo a postos para o inicio das emissões?!

Onde está o planeamento?! Começo a acreditar que se justificou plenamente a avaliação do júri do concurso, que colocou a PTelecom atràs da AirPlus no respeitante às soluções tecnologicamente inovadoras e à qualidade do plano técnico! (1)

Alguém acha que a introdução da TDT em portugal está a correr bem?

É sabido que quando as coisas correm mal a generalidade dos politicos (os mais espertos por antecipação), trata de sacudir a água do capote. Há alguns dias ouvi na radio uma entrevista do Sr ministro dos assuntos parlamentares Augusto Santos Silva, leia-se o seguinte extracto dessa entrevista publicada no DN:

«DN: Para si, o quinto canal em sinal aberto é para esquecer, pelo menos por agora? É preciso esperar?

A.S.S.: Não. Nós fizemos o que nos competia com toda a lisura e transparência. Como tenho dito insistentemente, não sou salazarista e, portanto, não acredito no condicionamento industrial. Não compete ao Estado travar administrativamente a evolução do sector da comunicação social ou de qualquer outro sector. A TDT permite mais canais em sinal aberto. Nós fizemos uma consulta pública e apareceram interessados, operadores que disseram: "Nós estamos interessados em ter presença televisiva." E apareceram outros operadores, que estão no mercado, que disseram: "Nós estamos interessados em aproveitar o espectro para emissões de alta definição." E nós tomámos uma decisão que permite mais alta definição e mais um canal. O concurso foi aberto, apresentaram-se os candidatos, o concurso está a decorrer, não tenho nada a dizer.»

É curioso, eu sempre julguei que era dever dos governantes defender os interesses dos cidadãos! Afinal, acreditando nas palavras do Sr. ministro, parece que a função dos Governos é mais gerir a pressão dos lobbys (e isso explicaria muita coisa). E todos sabemos como tão bem tem funcionado a liberalização e desregulamentação de variados sectores da economia...

O texto completo da entrevista está aqui.

(1) - A AirPlus apenas concorreu ao concurso da TDT paga.

Actualização 23/03/2009, 21h30:
A ERC confirmou hoje a exclusão de ambos os concorrentes ao concurso do 5º Canal de televisão.

Actualização 2/04/2009:
O Governo, através do ministro Augusto Santos Silva, informou que vai avançar com uma nova consulta pública para decidir o destino a dar ao espaço que ficou livre no Mux A, com o chumbo das candidaturas. E, sem antes ser conhecida a decisão do tribunal.

Links:
TDT portuguesa arranca a 29 de Abril
TDT paga sofre novo atraso
TDT: cobertura do litoral
TDT portuguesa em MPEG-4
5º Canal: Telecinco e Zon chumbadas!

17 comentários:

Fabio Estêvão disse...

A possibilidade de nao haver por enquanto um novo canal convinha muito a sic e tvi, pois assim a tvi continuava a fazer a sua programação descansada sem se preocupar com o bolo da publicidade e a sic continuava a querer assemelhasse cada vez mais com o perspicaz calendário televisivo que tem a tvi.

Isto em Portugal é só corrupção, como em todo lado, ade haver um dia que esta palhaçada vai acabar.

Eu já sei o fim da história, a ZonII vai perder por ganhar, e a telecinco vai perder porque convém a algumas pessoas(AOS ANOS ATRÁS DEVIA HAVER TAMBÉM UM CADERNINHO DE ENCARGOS, PARA VER SE FAZIAM O QUE FAZEM HOJE EM DIA), contudo isto vai se arrastar aí uns bons tempo em tribunal, e como a justiça portuguesa está,ui ui, só lá para 2013 é que vai acabar.

Sigam o exemplo tenham 1 canal em FTA temático, assim acaba-se as guerras da luta pela informação que todos querem

Popy disse...

e no final disto tudo, uma fatia razoavel de portugueses vão chegar ao dia do apagão sem o saber, e vão ficar sem perceber porque deixaram de receber RTP1 RTP2 SIC e TVI em casa...

Tony disse...

Mais uma machadada no TDT.
As pessoas vão mudar para o TDT não pelas vantagens, mas porque vai ser a única hipótese de continuar a ver tv. Muito ao contrario de outros países.

Hugo disse...

Não percebi o ponto que queria fazer com os "bolds" nas declarações do Ministro...

gentil79 disse...

enquanto que há muitos interesses instalados que querem antecipar a TDT a todo o custo (PT e fabricantes), há outros que querem atrasar o mais possivel (ZON, operadoes de TV e a propria PT com o MEO. No meio desta guerra está o consumidor final que fica a perder. O concurso para o canal 5 vai ficar em aguas de bacalhau, e a TDT paga vai ainda acabar por ser adiada para 2011...

gentil79 disse...

...e o mais curioso nisto tudo é que ninguem parece estar interessado na TDT em Portugal. O assunto mais parece ser encarado como uma obrigacao da UE que Portugal tem de cumprir, senao por si só nunca a teríamos instalado. Para o Poder, a TDT é um assunto aborrecido, para se ir fazendo com calma e conforme a vontade politica. Por isso nao vemos politicos a falar no assunto, e nem mesmo a DECO comenta sobre o descalabro da publicidade enganosa de aparelhos compativeis com TDT Portuguesa... uma autentica republica das bananas.

Hugo disse...

Mas o TDT é uma obrigação!
Fala-se muito de que isto é um roubo, e que não dão hipótese a haver mais canais abertos, mas ninguém pára para pensar se de facto há capacidade para emitir mais canais abertos...
Quando fazem comparações, por favor não comparem com mercados muito maiores que Portugal (Espanha, UK, França, Itália, Alemanha) onde o TDT de facto tem algum/bastante sucesso, mas com mercados da nossa dimensão.
Assim de cabeça consigo pensar em Holanda (1 mux aberto, o resto pay-tv), Suécia (idem), FInlândia (tambem misto), Áustria (4 ou 5 canais abertos), Bélgica (a mesma história),...
É com países destas dimensões (entre 7 e 15 milhões de habitantes) que nos devemos comparar, não com países entre 40 e 80 milhões.
Acho que seria uma discussão interessante para este blog: "que espaço para canais abertos e fechados há de facto na TDT em Portugal?"

A VOZ DA MÚSICA disse...

Vese que hai moitos problemas coa implantación da TDT no voso país

Sorte e que as primeiras emisións saian ben

Saúdos

gentil79 disse...

Hugo: a comparacao que fazemos com mercados maiores é valida, visto que nao é por Portugal ser um país mais pequeno que o espaco para os canais seja muito menor. O Reino-Unido que tem o MUX A com mais de 30 canais em MPEG-2, e a tecnologia MPEG-4 (adoptada em Portugal) permite ainda mais compressao e por conseguinte mais canais. Por isso, se em UK em MPEG-2 dá para 30 em SD 16:9, porque é que em Portugal nao dara para o mesmo? As pessoas neste blog nao exigem o pacote todo da televisao por cabo em sinal aberto na TDT, mas sim um retorno justo para um investimento que é obrigatorio. Deveríamos ter os 4 canais actuais, o futuro 5 canal que nao se sabe se aparece e os canais nacionais pagos com os nossos impostos (RTPN e RTPMemoria).

gentil79 disse...

Além disso, se nao houvesse espaco em sinal aberto, tambem nao haveria espaco para canais nacionais na TV cabo. A questao nao é o espaco, mas sim porque em sinal aberto as tv's nao recebem contrapartidas financeiras para emitir nessa plataforma. Nas plataformas pagas, as tv's recebem uma comissao diária dos operadores(Meo, ZON, AR Telecom, etc) por cada cliente. Por isso nao interessa a nenhuma das estacoes de TV ter os seus canais tambem em sinal aberto.

gentil79 disse...

Caro amigo Hugo: a dimensao de Portugal nao será a unica razao para nao haver mais canais de sinal aberto, mas sim as condicoes sócio-economicas de Portugal, um dos paises mais pobres da UE e que nao pode ser comparado com os países que referiu : belgica, holanda, austria, suecia e finlandia, tudo países de elevado nvel de vida. Assim voce esta a cometer o mesmo erro que os politicos neste país e a Anacom, que comparou Portugal com Franca, Noruega e Suecia para justificar as opcoes que tomou. Cumprimentos

Yagi disse...

Quanto ao número de canais possíveis, há que distinguir entre canais generalistas e temáticos.

Em relação aos generalistas (RTP, SIC, TVI), que têm custos de operação muito altos, haverá(?) espaço (comercial) para mais um (O 5º Canal). Quanto aos temáticos, que têm um público mais específico, haverá espaço (comercial) para mais.

Existe capacidade para emitir mais canais livres nos mux's atribuídos. O Meo DT deverá ter até 49 canais codificados, contra apenas 5 canais de acesso livre!

Após 26/04/2012, com o encerramento das emissões analógicas, haverá espaço para criar mais mux's para canais de acesso livre e condicionado e mais HD. Haja vontade politica, e resistência aos lobbys!

Hugo disse...

Gentil79, obviamente que quando refiro que não há espaço para mais canais, não me estou a referir a falta de frequências (obviamente). Sei perfeitamente quantos canais cabem em cada mux, e as vantagens do mpeg-4 sobre mpeg-2.
O meu comentário referia-se sempre a falta de dimensão do mercado. Esta é a única realidade que condiciona a oferta que vamos ter...
E a comparação com os mercados que referiu faz ainda mais o meu ponto: temos a mesma população, mas mais pobre, por isso o nosso mercado em sinal aberto vale menos (correlação poder compra com mercado de publicidade).
Logo a capacidade de alguém montar na TDT Portuguesa um canal em sinal aberto que consiga subsistir apenas com as receitas de publicidade é bastante diminuta.

Yagi disse...

Hugo,
Acredita realmente que não é viável transmitir a RTP Memória, RTPN, mais um canal infantil em modo aberto na TDT? É!

Não vão estar disponíveis (já), porque não houve vontade ou força por parte do Governo/RTP! Também acha aceitável que o Canal Parlamento (ARTv) esteja codificado?!

Hugo disse...

Yagi,

é possível desde que o Governo financie esse esforço e compense a RTP pelas taxas de distribuição que os operadores de cabo lhe pagam. Se assim for, claro que é possível.
Se for por iniciativa privada ou auto-sustentado por receita comercial não acho possível/rentável.
É tão claro quanto isto :)

Yagi disse...

Os custos de emissão são baixos nas redes digitais. Um dos principais motivos da opção pelo MPEG-4 foi precisamente o custo mais baixo para os operadores dos canais (mas mais alto para os telespectadores).

Não acredito (e não estou só) que o grande impedimento da não inclusão em acesso gratuíto na TDT dos canais que citei (RTP Memória e RTPN) seja o custo de emissão. A RTP recebe centenas de milhões de Euros do OE. Esses custos representam uma migalha no orçamento da RTP!

Se é esse o verdadeiro motivo (não é), sempre gostaria que a RTP disse-se quanto lhe custaria a distribuição desses 2 canais em regime aberto na TDT...

Eliseu disse...

E não se esqueçam duma coisa: O dividendo digital, o espectro que fica livre, reverte a favor do estado que posteriormente o vai leiloar e emitir licenças para outros serviços (que não apenas TV) com grande encaixe financeiro - tal como aconteceu no licenciamento das operadoras 3G.

Se o Estado é o principal beneficiário da transição para o digital, faz todo o sentido em oferecer algo em troca. É por isto que em muitos países da Europa a oferta TDT é tão apelativa. Os governos querem convencer as populações a migrar para o digital de modo a poder desligar os emissores analógicos o mais cedo possível e vender/leiloar/atribuir o espectro remanescente a novos serviços.

Em portugal a estratégia parece ser o espectador pagar, pagar, ficar com a mesma oferta e o Estado receber o espectro limpo. Bom negócio para o Estado e para a PT, não para mim.