quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Anacom "estuda" possibilidade de mais canais na TDT

Á margem de uma audição na Comissão Parlamentar para a Ética, Cidadania e Comunicação que decorreu hoje no Parlamento, Eduardo Cardadeiro (administrador da ANACOM para a TDT) informou que a mesma (ANACOM) estaria a estudar a possibilidade de introduzir mais dois ou três canais na TDT, «a PT tem apenas que reservar espaço para aquilo», «tudo o que for a mais, a ANACOM resolve», afirmou. Um total de «7 a 9 canais podem entrar sem alterações legais», terá afirmado.

Como dos 9 canais, 4 estão a ser emitidos (RTP1, RTP2, SIC e TVI) e a PT está a reservar espaço para o Quinto Canal e o Canal HD que não emitem, sobram então mais um a três canais. Mas importa referir que para transmitir 7 ou 9 canais (no mesmo Mux) mantendo o espaço para o Quinto Canal e o Canal HD, a qualidade de imagem dos canais irá baixar! Este desenvolvimento poderá pois trazer "água no bico" como se costuma dizer. A melhor qualidade de imagem em comparação com alguns serviços de televisão por subscrição é referida por várias pessoas como um atractivo da TDT, especialmente durante a transmissão de partidas de futebol. Mas é sabido que os canais de televisão ainda recentemente se queixaram da factura apresentada pela PT pelos custos de transmissão do sinal. Ora, se aumentar o número de canais no Mux A, mantendo-se a reserva de espectro para o Quinto Canal e o Canal HD, baixa o bitrate utilizado por cada canal e logo baixa a factura a pagar por cada um dos operadores (RTP, SIC e TVI) pois o custo depende do bitrate utilizado por cada canal, mas baixa também a qualidade de imagem dos canais.

Se os canais eventualmente a introduzir forem de facto interessantes para os telespectadores, a ligeira perda de qualidade (a perda dependerá em certa medida do tipo de canais a introduzir) valerá a pena, se não, poderá até traduzir-se numa pioria do serviço. O Canal Parlamento é sem dúvida de interesse público e poderia ser emitido com um bitrate baixo mas, dado que actualmente só é utilizado um Mux ou seja, o espectro utilizado pela TDT é muito reduzido, deverá (pelo menos nesta fase) ser dada prioridade a canais mais apelativos para os cidadãos. Dois dos canais mais indicados e já apontados por muitos cidadãos são os já classificados de interesse público: RTP Memória e RTP Informação, tal como vem sendo reclamado pelo blogue TDT em Portugal desde 2009.

Importa recordar que para se emitir mais canais na TDT falta sobretudo uma decisão política. Como venho escrevendo desde há muito, técnicamente não há qualquer impossibilidade de se emitirem mais canais na TDT. Esperemos que, de facto, a oferta de canais da TDT portuguesa aumente e nos afaste (ainda que ligeiramente) da cauda da Europa.

Na audição foi revelado também que correm dois processos contra a PT, ao que tudo indica pelo facto do equipamento satélite fornecido pela mesma estar limitado ao serviço MEO e não permitir receber canais livres. O presidente da Anacom afirmou que não seria possível o receptor satélite receber canais gratuitos, o que é absolutamente FALSO. Actualmente, só através do satélite Hispasat (onde é emitido o serviço TDT DTH), são emitidos 37 canais de televisão e 54 canais de rádio em canal aberto, com possibilidade de recepção em Portugal! É lógico que a PT fornece um equipamento que não permite receber canais FTA para que a solução TDT DTH não faça concorrência (mesmo que reduzida) ao serviço MEO. E o regulador, mais uma vez, defendeu a sua posição relativamente ao custo do serviço DTH (TDT por satélite), chegando ao ponto de dizer que a PT perde dinheiro com a venda dos kits, algo que pode ser facilmente desmentido, pois (como já escrevi em post anterior) o dinheiro que a PT "alegadamente" "perde" no primeiro receptor ganha no segundo e no terceiro, pois o segundo já custa 96 Euros, e a maioria das habitações tem mais do que um televisor! Desde há vários meses é possível encontrar equipamentos semelhantes com valores de PVP inferiores.

Foi também reconhecido que o switch-off poderia ter sido adiado por alguns meses. O lançamento do serviço 4G/LTE não constitui portanto impedimento, tal como escrevi em diversas ocasiões neste blogue. Ficou claro que só o não foi para a ANACOM não perder mais credibilidade junto dos portugueses! Mas entretanto o número de reclamações apresentadas cresce exponencialmente. E, sendo assim, os "apagões" analógicos de facto prosseguem, mas o processo é tudo menos tranquilo!

Video da audição à ANACOM


Actualização 20/02/2012:
Ao que tudo indica o Canal Parlamento (ARTV) vai mesmo chegar à TDT em breve. A informação foi divulgada este fim-de-semana por vários jornais. O ministro Miguel Relvas, revelou que a Anacom já deu o seu aval à inclusão do canal na TDT, e que a PT não irá cobrar pela difusão. No entanto, questionado se mais canais públicos poderiam reforçar a TDT, o ministro adiantou que "neste momento, só o Canal Parlamento", já que não há questões comerciais nem de direitos (todos os conteúdos são propriedade do canal) e a estação não tem publicidade. As diligências do Governo para a inclusão da ARTV na TDT surgem após Assunção Esteves (Presidente da Assembleia da República), ter recentemente "sugerido" a inclusão do canal na TDT, pois crê que desta forma poderá existir uma maior proximidade dos políticos com os seus concidadãos.

Como já disse, considero o Canal Parlamento de interesse público e faz sentido ser emitido na TDT. No entanto, a prioridade deve ser dada a canais que despertem maior interesse na população, o que manifestamente não se verifica com o ARTV. A inclusão na TDT dos canais RTP Memória e RTP Informação (classificados de interesse público!) há muito foi pedida por muitos cidadãos, como tem sido amplamento divulgado no blogue TDT em Portugal. Só através da petição lançada em 2009 pelo blogue TDT em Portugal foram 1500 cidadãos que o reclamaram. O actual Governo, que há muito foi alertado para os problemas da TDT portuguesa, teve tempo de dar todos os passos necessários para disponibilizar a RTP Memória e a RTP Informação na TDT.

É lamentável que o desejo de uma cidadã, por muito respeitável que seja, aparentemente mereça maior consideração e diligência por parte do Governo que as apirações da generalidade dos portugueses, que desejam a RTP Memória e a RTP Informação na TDT. Mas, como o interesse público colide com o interesse dos operadores de televisão por subscrição e da administação da RTP (que decide em função dos interesses privados), o interesse público é sacrificado. Assim vai a nossa democracia... 


Posts relacionados:
TDT: MAP e ERC decidem novos canais
ANACOM foi ao Parlamento dar explicações sobre a TDT
Introdução da TDT foi criticada no Parlmento
ANACOM vs. ANACOM - Regulador contradiz-se
TDT: Blogue TDT em Portugal apelou ao Governo

28 comentários:

EDUARDO disse...

A PT não perde nada nos receptor por satélite, os agentes dela é que recebem muito pouco. Esta situação faz com que eles só façam a instalação destes equipamentos em último caso. Já podem imaginar quem fica a perder... Em relação os canais livres do hispasat, este dependem da boa vontade do agente que lá for. Importante: há habitações que são tb zonas sombra para o hispasat.
Se a RTP INFORMAÇÃO ENTRAR NA TDT, A SIC NOTÍCIAS E TVI24 SÃO OBRIGADAS A FAZER O MESMO. AS QUOTAS DE MERCADO ASSIM OBRIGAM.

Anónimo disse...

Não acredito nos canais extra.

Acredito sim num esquema para ganhar tempo e calar as vozes de protesto. Tudo o que vem da ANACOM é mal feito e feito para defender os interesses do cabo. Mais canais não defende os interesses do cabo.

O interesse aqui é calar as criticas de falta de canais: "estamos a tratar do assunto"... mas estarão a tratar ad eternum!

Por isso, não caiam na conversa, é conto do vigário. Se têm protestado, continuem, se nunca protestaram, comecem.

Pedro Ribeiro disse...

Dois comentários...
Em relação aos receptores satélite é completamente inaceitável o quão fechada é a plataforma de acesso o que limita os utilizadores a terem obrigatóriamente de adquitir as STB a um único fornecedor, isto quando existem no mercado centenas de equipamentos aptos para realizar o serviço, sendo que para salvaguardar o balizamento dos direitos de difusão poderia existir uma qualquer forma de acesso condicional mais simples que a do MEO e os canais também integrantes do pacote TDT/DTH teriam distribuição adicional de chaves básica e serem apenas distribuidos cartões smartcard à população, a baixo custo (similar ao que ocorre na TDT Francesa). Cada um comprava o receptor que quisesse (ou até que já tivesse como é o meu caso).

Em relação aos "ainda apagados", os hospitais, centros de saúde e similares, com o aperto actual, não têm recursos para investir num STB/TDT para cada TV e bastante jeito davam elas nas esperas ou nos internamentos.
Estranho não existir no mercado nenhum equipamento que faça a conversão para analógico (modulação RF) do MUX completo quando os operadores de serviços de "fibra" fazem algo similar para quase 100 canais!!!
Isto resolveria muitos dos problemas actuais em infra-estruturas com muitas TVs antigas.

Yagi disse...

@Eduardo: "Em relação os canais livres do hispasat, este dependem da boa vontade do agente que lá for." Importa-se de clarificar esta afirmação? Há alguma "artimanha" que permita ao equipamento TDT DTH receber todos os canais FTA?

Yagi disse...

Para hospitais, centros de saúde, escolas, grandes empresas, etc, pode utilizar-se um receptor TDT + um modulador PAL (analógico) por canal e todas as tv's continuam a receber sinal analógico como sempre através do sistema de antena existente. Há várias marcas que vendem essa solução. Não é necessário um receptor tdt por cada televisor não preparado. Este assunto já foi comentado em post anterior.

Yagi disse...

«Acredito sim num esquema para ganhar tempo e calar as vozes de protesto. Tudo o que vem da ANACOM é mal feito e feito para defender os interesses do cabo.»

Sim, é muito provavel! Até pela forma "ligeira" como a "informação" foi divulgada. A ANACOM merece total desconfiança. Vêr para crêr!

carlos disse...

Isto é de desconfiar. Eduardo Cardadeiro poderia ter dito isto formalmente no parlamente, e por alguma razão não o fez. É muito estranho isto, pois logo de seguida junto aos jornalistas "ha estamos a estudar a passibilidade de até 9 canais em sinal aberto."! A estudar. É imperativom que isso aconteça. Os operadores de cabo vão morrer caso não coloquem os seus tematicos. Perdem audiencia para canais estrangeiros e consecutivamente receitas publicitárias. Está visto que apenas pensam no lucro a curto prazo. Quanto à PT, esta está a tentar não fazer mais concorrência ao seu meo, como aconteceu até aqui

CMatomic disse...

isto de mais canais ditos pela ANACOM é mesmo para calar as reclamações, de falta de oferta de canais,e então os outros MUxs do B ao E, como ficam ? vamos só ficar pelo mux A , só mais 5 canais e em SD , não vai ver canais em HD nem rádios na TDT e os canais regionais?, por isso é importante activar os outros muxs , para que haja mais espaço para mais canais , mas como a vontade é pouca, falam a estamos a estudar,acho que já chega jogadas.Uma TDT como deve-ser poderia ser assim :
Mux A
RTP1 HD
RTP2
RTP Memoria
RTP Informação
ArTV (Assembleia da República TV)
Mux B
SIC HD
SIC kids
SIC Mulher
SIC Radical
SIC Notcias
Mux C
TVI HD
TVI 24
disponível espaço para mais 3 canais
Mux D
EuroNews
um canal de Musica Portuguesa ( como a futura RTP musica )
Um canal de documentários ( como o Odisseia ou Discovery channel )
AXN "payTV" (canal por assinatura)
Canal de payTV "tipo canal+"(desporto/cinema/etc..) em HD (canal por assinatura)
Mux E
( este mux seria dedicado a canais regionais e locais )
RTP Madeira "a nível nacional"
RTP Açores "a nível nacional"
Canal regional "Ex Tv Algarve"
canal local "Ex Tv Faro "
Mux F
canal "OTA" de actualização de tvs e terminais TDT
Serviços interactivos
Rádios "nacionais" em HD audio
(Um Mux equivale a uma única frequência , onde em analógico só podia existir um canal televisivo.)
No Total poderia ficar
20 canais televisivos de acesso livre + rádios "gratuitos" , e dois canais por assinatura.

Yagi disse...

Os Muxes B-F já são carta fora do baralho há muito tempo! Estavam na faixa 790-862Mhz que foi atribuida para comunicações electrónicas. Além disso só os Muxes A,B e C tinham cobertura nacional. Agora, novos Muxes iriam utilizar outras frequências mais baixas. Mas nada disso se vislumbra no horizonte! Os planos existentes quase de certeza vão ficar na gaveta.

Ninguém se iluda! Se não houver alterações até 26 de Abril, depois do switch-off terminado acaba a pressão sobre o Governo e as probabilidades de alguém apostar na TDT são remotas. Todos podem apresentar a "sua" proposta de TDT ideal mas, no máximo, as coisas poderão melhorar um pouco, nada mais. Nem o mínimo dos mínimos, da mais elementar justiça é posto em prática, quanto mais propostas tipo TDT espanhola...Para isso acontecer teria que haver alterações profundas neste país.

EDUARDO disse...

Eu não tenho o receptor em causa, baseio-me no que me disseram. Mas tenho o conhecimento que estes serviços tv paga tem um código pin da operadora, que os agentes sabem, e que lhe permitem alterar, entre outras coisas, a forma como o receptor vai fazer as suas actualizações via satélite. Na prática, por exemplo, se as pessoas não souberem colocar manualmente as outras frequências que tem os canais livres, só terão disponíveis as frequências que a pt quiser. Não há aqui nada de ilegalidade só…

Anónimo disse...

Já agora podiam adicionar a rádio

Yagi disse...

RECEPTOR TDT DTH:
A informação que disponho (e que está no post sobre recepção via satélite) é de que o receptor permite sintonizar todas as frequências, mas só permite memorizar 4 canais. Se houver algum "truque" para ultrapassar esta limitação (nos receptores TDT DTH), nunca poderá ser considerado uma ilegalidade uma vez que não se trata de receber canais codificados mas sim canais FTA (de acesso livre não condicionado). A eventual ilegalidade poderá estar a ser cometida pela PT que está (através daquela limitação), na prática, a barrar o acesso a canais livres. Mas provavelmente a PT limitou-se a contornar a lei e assim poderá nem vir a ser condenada por isso.

Pedro Viana disse...

Repararam na mentira que o presidente da ANACOM disse, que o satelite é da PT e serve para distribuir só o sinal da MEO? 2h05m30s

Marco Rodrigues disse...

Sim, isso que a Anacom diz é uma grande mentira.
Desde quando é que eles se importam com a TDT?


@CMatomic
A TDT portuguesa poderia ser assim no início. Agora muitas dessas coisas nem podem acontecer. Não podem haver canais TDT pagos porque as frequências foram vendidas.

E se entrasse um novo canal na TDT, entrariam vários. Se a RTP avançasse com a RTP Informação, a SIC avançava com a SIC Noticias e a TVI com a TVI24. Eram +3 canais. Se a RTP entrasse com a RTP Memória, a SIC entrava com a SIC Radical. +2
Também acho que a TVI está a fazer mais canais mas não são para a TDT, de certeza.

Seja como for, isso é tudo areia para os olhos.

Yagi disse...

Eu já nem comento algumas das "barbaridades" que os responsáveis da Ancom dizem! De facto, o que o presidente da Anacom disse em relação à impossibilidade de receber os canais gratuitos que são emitidos via satélite, é falso!

Ele disse que os satélites não são os mesmos e que o satélite está "adstrito" à PT. Qualquer pessoa pode comprovar que no satélite "adstrito" à PT, ou seja Hispasat 30º Oeste são emitidos vários canais de televisão (37) e rádio (54), em sinal aberto, como afirmo no post. Esses canais nada têm a vêr com o MEO. A PT não é dona de nenhum satélite Hispasat. A PT aluga espaço no sistema de satélites Hipasat, como outras empresas fazem.

Aqui fica uma lista de canais que são emitidos através do Hispasat 30º Oeste:
http://www.lyngsat.com/hispa.html

t0nito disse...

É disparate atrás de disparate, mas em que país é que vivemos? Senhor nos tire deste buraco...

Pedro Viana disse...

Uma imagem retirada do jornal Expresso deste Sábado circula nos grupos e páginas dedicados à TDT no facebook:

"Canal Parlamento na TDT- Assunção Esteves pediu e o Governo negociou com a ANACOM e com a PT: o Canal Parlamento vai passar, gratuitamente, na Televisão Digital."

Paulo disse...

Yagi, um ponto que foi admitida pela primeira vez pela ANACOM (no fim deste colóquio), e que achei importantíssimo é que a instalação media da antena sem descodificador irá custar a cada família portuguesa a media de 61 €. Para quem dizia que era só comprar um descodificador.

Yagi disse...

Mas isso todos sabem. É claro que quando é necessário trocar de antena ou proceder a alterações mais "complicadas" (e isso acontece em muitos casos) o custo da migração sobe, por vezes exponêncialmente. Há muitas familias que pagam MUITO mais que os 61€ só para a instalação de antena!

Não me passou despercebida a resposta do presidente da Anacom à afirmação da deputada Catarina Martins sobre o custo médio da migração (150 €). A Anacom sabe perfeitamnte o custo real que a migração para a TDT custa às famílias portuguesas. Sabe mas recusa-se a confirmar o óbvio, porque isso valida muitas das criticas que estão a ser feitas à forma como está a ser conduzida a migração para a TDT. A Anacom tem responsabilidade em muitas questões, mas não quer assumir o ónus de algumas decisões que tomou. Desresponsabiliza-se.

Marco Rodrigues disse...

Curiosamente (ou não) no site da ARtv podemos ver a ARtv em direto no formato H.264 e curiosamente (ou não) esse é o formato da TDT portuguesa.
Vejam: http://www.canal.parlamento.pt/

Yagi disse...

O facto da ARTV (Canal Parlamento) estar a utilizar a norma h264 na emissão web não está relacionado com a próxima entrada do canal na TDT. Há muito que emite em h264 (emissão experimental) na Web. Os operadores de Headends (PTC, ZON, etc) podem receber os sinais de vários tipos. A norma de compressão video utilizada na emissão não tem que ser a mesma norma do sinal recebido (normalmente nem é).

Killado disse...

Uma outra coisa que não entendo é o que se passa nos 4 canais de livre acesso em que se promovem os programas que passam nas operadoras de cabo.
No noticiários é normal darem informações que podem ver o programa x no canal de notícias.
Outra coisa é o que se passa com o programa da fátima lopes na tvi onde tem um passatempo em que as perguntas são SEMPRE sobre o canal de notícias do operador de televisão. Várias pessoas deixam a pergunta de que canal é esse que elas não conhecem.

Segundo as leis da televisão qualquer comentário a falar de qualquer um desses canais devia ser considerado publicidade e contar para os tempos de publicidade permitida.
Porque quem não paga a um operador de cabo não pode estar a ser bombardeado com promoções encaputadas para arranjar clientes para os operadores de cabo.
Entendo que os operadores de cabo coloquem nas condições de emissão que o canal generalista é obrigado a fazer x horas por semana de publicidade ao canal por cabo. No entanto a RTP fazia publicidade ao canal da RTP Memória com publicidade externa dentro dos espaços publicitários.
Tanto a SIC, RTP e TVI usam os seus noticiários para publicitar programas que só estão disponíveis para os assinantes de tv por cabo.
Já tentei que o instituto do consumidor explicasse porque é que isso não é considerado publicidade... mas a resposta que recebi é do modelo simpático que eles não podem fazer nada pois não é anunciado nenhum operador de cabo.
Ora se os canais só estão disponíveis para o cabo... qualquer publicidade a esses canais devia ser considerada publicidade aos operadores de cabo.

Só que isto cá em Portugal é sempre para defender os operadores de cabo.

Electrodoméstico disse...

Já que os Portugueses tem de pagar o descodificador é importante que tenham algum beneficio! Libertem algum canais gratuitos.

Yagi disse...

Quando nos canais de acesso livre não codificado(RTP1, RTP2, SIC e TVI) se faz alusão a programas do mesmo grupo (RTP, Impresa ou MediaCapital), acessíveis apenas por subscrição), fora do período de publicidade, creio que deveria ser considerado (no mínimo) autopromoção.

No inicio dos programas é habitual haver a indicação se durante o mesmo haverá autopromoção ou presença de produto. Não sei se os canais estão a infringir a lei ao promoverem os seus canais pagos durante programas noticiosos e outros, mas pelo menos julgo que deveriam exibir o indicador de autopromoção ou publicidade porque, na prática, é isso que estão a fazer, publicidade (encapotada) à empresa e aos operadores de televisão por subscrição.

Jose Luis disse...

@Eduardo: "Em relação os canais livres do hispasat, este dependem da boa vontade do agente que lá for." Importa-se de clarificar esta afirmação? Há alguma "artimanha" que permita ao equipamento TDT DTH receber todos os canais FTA?






Yagi, o problema da não memorização dos restantes canais do Hispasat está no software da box que deveria ser modificado.No meu entender a PT está a cometer uma ilegalidade.

Yagi disse...

O receptor da TDT Complementar só memoriza 4 canais, como já tinha informado em: TDT VIA SATÉLITE
É uma limitação do software do equipamento imposta, naturalmente, pela PT.

Anónimo disse...

infelizmente a pt manda na tdt e logo não da muito jeito ter canais em aberto, da mais jeito pagar uma mensalidade. O que eu penso da tdt e que Portugal e um pais rico, temos 4 canais tdt, em alta definição (Mpeg4), veja-se o caso de outros países europeus Espanha tem cerca de 20 canais em tdt em mpeg 2, canais nacionais, desporto, infantil, etc, França, Inglaterra, Italia, idem aspas aspas é o pais que temos infelizmente.

Yagi disse...

A TDT portuguesa não emite canais em Alta Definição (HD). Todos os canais são emitidos em definição standard 720x576i(SD). O único canal HD previsto só emitiu durante alguns dias em fase de "testes". Toda a informação está disponível no blogue TDT em Portugal.