sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

PT desiste da TDT paga!

(act. em 2/02/2010)
Incrível! Confirmaram-se os desenvolvimentos que temia no post de 2/01/2010. Depois de ter lutado para afastar o seu único concorrente (AirPlus) e ter repetidamente garantido que o avanço do seu projecto de TDT paga não estaria em causa, a PT solicitou à Anacom a revogação das licenças relativas aos Mux's da TDT paga!

Penso que fica agora claro quais foram as alegadas alterações de mercado. É que a PT avançou para a massificação do serviço Meo através do Meo Satélite (com sucesso), na mesma altura em que concorria às licenças da TDT. Á luz dos mais recentes desenvolvimentos, é legítimo considerar que a candidatura às licenças da TDT paga, não passou de uma estratégia para eliminar a concorrência.

Julgo também, ter ficado claro que, desde muito cedo a PT terá desistido da TDT. Recordo que já em Abril de 2009 (curiosamente apenas alguns dias após a AirPlus ter anunciado a sua desistência de continuar a "lutar" nos tribunais e da extinção da sua filial em Portugal), o presidente executivo da PT tinha falado em «alteração de circunstâncias de mercado» e que em Maio do mesmo ano alertei que a TDT paga tinha sido aparentemente "esquecida" pela PT nos testes de compatibilidade dos equipamentos. Mas, já na fase de consultas dos concursos, a PT considerava a TDT como «uma plataforma de televisão digital alternativa às existentes, designadamente cabo e satélite».

Esta decisão da PT representa um rude golpe na TDT portuguesa, mas também na credibilidade e imagem da Portugal Telecom e da autoridade reguladora! Se o processo de transição para a TDT já se antevia difícil, agora será ainda mais complicado. Como irá o cidadão interpretar a desistência da PT na TDT paga?

Alguns jornais noticiam que a PT pretende disponibilizar o espaço que ficará livre nos Mux's para a RTP, SIC, TVI e 5º Canal, lançarem canais em alta definição. Esta deverá ser a opção mais favorável para os interesses da PT, pois poderá permitir "matar dois coelhos com uma cajadada":
  • Ao negociar uma utilização alternativa para os Mux's não utilizados, evitará(?) pagar as taxas devidas e eventualmente uma pesada multa.
  • Se conseguir convencer os canais generalistas a utilizarem o espectro para lançarem os seus canais em versão HD, estará a garantir que a TDT não fará concorrência ao serviço Meo. Está provado que os telespectadores valorizam mais o conteúdo dos programas do que a qualidade técnica das emissões.
Esta alegada solução, na minha opinião, não passa de mais uma ilusão. Os canais estão em situação económica frágil, para não falar do clima económico actual. O valor cobrado pela difusão das emissões digitais depende do espectro utilizado pelos canais. Como as emissões HD ocupam aproximadamente 3x mais espectro que as emissões em SD (definição standard), os custos serão inevitávelmente mais altos. A melhor opção, na minha opinião, continua a ser, para já, a disponibilização da RTP Memória e RTPN em sinal aberto, pelos motivos que já mencionei em posts anteriores. Afinal, agora já não há falta de espectro, não é assim? ;)

Será pois interessante saber o que irá acontecer às licenças atribuidas à PT. Será aberto novo concurso? Poderá a PT transmitir os direitos de utilização a terceiros?

A Televisão Digital Terrestre portuguesa mais parece uma trágicomédia!

Esperemos pelos próximos capítulos...

Actual. - CONSEQUÊNCIAS DA DESISTÊNCIA DA PT NA TDT PAGA

Alguns leitores do Blog (e não só) consideram a desistência da PT da TDT paga uma boa notícia. Compreendo os seus pontos de vista, no entanto, como já disse, acredito que se trata de um rude golpe na TDT portuguesa, que irá afectar negativamente a TDT de acesso livre (gratuita). Claro que, sem TDT paga, poderá ser disponibilizado espectro adicional para a TDT gratuita. Mas, a verdade é que actualmente só não existe mais espectro para a TDT gratuíta por motivos políticos, não técnicos, e os "actores" são os mesmos de 2008.

Irá ser esta decisão da PT, utilizada pelos governantes para corrigir a estratégia portuguesa para a transição digital? Tenho alguma esperança, mas vou aguardar sentado...

Recordo que apenas a PT se apresentou ao concurso da TDT de acesso livre (Mux A), apesar das conhecidas circunstâncias que rodearam o concurso (acordo da PT com a Media Capital/TVI e acusações da Sonaecom), e que terão motivado a desistência de outros concorrentes. A AirPlus, recorde-se, apenas concorreu à TDT paga (uma decisão que lhe foi fatal na minha opinião). Isto demonstra claramente que o negócio da distribuição do sinal da TDT gratuita, nos moldes em que foi proposto a concurso, não é económicamente atraente. Sem o negócio da TDT paga "por trás", a TDT de acesso livre poderá ser afectada de várias formas:

Velocidade de implantação da rede de emissores
Apesar de existirem obrigações legais assumidas pelo operador de rede, sem o negócio da TDT paga, a velocidade de implantação da rede poderá ser afectada, uma vez que TDT gratuita e TDT paga partilham a mesma rede.

Acesso a caixas adaptadoras
O acesso da população a caixas receptoras de TDT a preços mais baixos poderá ser afectado. Dado o preço relativamente elevado das caixas, a subscrição de um pacote de canais de TDT paga poderia permitir a sua aquisição/aluguer a um preço mais acessível. É uma técnica de captação de clientes vulgarizada e já utilizada noutros países, também com a TDT.

Concorrência / opções do consumidor
A TDT paga poderia oferecer uma oferta de TV por subscrição a preço mais acessível. Além disso muitissimos consumidores ainda não têm velocidades de acesso de internet que permita IPTV ou acesso a rede de TV cabo. A opção satélite também não é solução para todos, porque nem sempre a sua instalação é possível.

Divulgação
Até à data a divulgação da TDT tem sido quase nula. Sem o negócio da TDT paga, a divulgação junto da população será menor.

Impacto na opinião pública
Quando a maior empresa portuguesa de telecomuniçãoes desiste de uma tecnologia (televisão digital terrestre), é natural que isso afecte a percepção pública dessa tecnologia. O consumidor naturalmente ficará ainda mais confuso, indeciso e naturalmente "de pé atrás", a "vêr o que a coisa vai dar". Isto só vai atrasar ainda mais a transição para a TDT, quando Portugal é um dos paises mais atrasados na adopção desta tecnologia.

CONFERÊNCIA DE IMPRESSA DE ZEINAL BAVA (PT) SOBRE TDT (12/01/2009)

Para melhor avaliarmos o estado da TDT portuguesa, nada melhor do que recordar o que foi dito pelo presidente executivo da Portugal Telecom à apenas um ano atrás. Afinal, é sempre bom ouvir-mos dizer que «em 1 de Janeiro de 2011 Portugal estará na linha da frente de tudo o que de melhor vai acontecer na europa» e que «o nosso pais vai ser exemplar no switch-off e uma referência a nível europeu».


Obs: o audio demora alguns segundos a arrancar.

2/02/2010:
A Anacom aprovou a decisão de revogação das licenças da TDT paga (Mux's B-F) sem perda de caução por parte da PTC.

Notícias relacionadas:

15 comentários:

António disse...

Com a oferta já existente (cabo e satélite) de TV paga, a TDT paga parece-me irrelevante. A questão é quando teremos uma oferta de TDT gratuita minimamente interessante que desperte o interesse de alguém?

Márcio Santos disse...

Excelente post Yagi!

Está claro como nunca que a PT faz e desfaz da TDT a seu belo prazer, tudo isto patrocinado pela entidades oficiais!

O que irá a Anacom e cia fazer? "Baixar as calcinhas" à PT mais uma vez? Certamente!

Se antes não havia espectro agora sobra! Qual será a posição da RTP acerca da disponibilização dos seus canais na TDT gratuita? Qual será desta vez a desculpa? Aceitam-se apostas!

A TDT já um fracasso! Confirmado pela propria PT! Monopolios é no que dá!

PS: Aproxima-se o Festival Eurovisão, no meio de tanto marasmo gostaria de ver o mesmo na TDT em alta definição... Será que a RTP vai ter esse discernimento? Devo ter esperanças?

Cumprimentos a todos!

Tootall disse...

li hoje no Economico o seguinte.
"a PT propõe que o espectro destinado à TDT paga que seja entregue aos operadores de televisão RTP, SIC e TVI."
Não seria melhor propor um novo concurso para a TDT paga?? Está à vista dos olhos que a PT não quer mais concorrência ao MEO Satélite...

Helder disse...

Mais um excelente post yagi os meus parabens.

Inflizmente só acontece neste país este tipo de coisas, fala-se em concorrência mas ela não existe em lado nenhum existe apenas é uns acordos entre empresas e depois coisas destas não são novidade para mim.
Sempre fui a favor da distribuição ser entregue a PT pois é uma empresa com bastante experiência nas telecomunicações e em particular na teledifusão, se não estavamos sujeitos a ter o mesmo problema que temos com a Reti(rede de emissores da TVI) que tem a pior cobertura de todos os canais mesmo transmitindo com as mesmas potências.
Nunca concordei e nunca percebi como é que a empresa distribuidora do sinal TDT pôde concorrer a pay tv, talvêz por ser a PT e tambem por estarmos em Portugal onde as empresas publico/privadas ou a onde o estado ainda tem algumas acções continuam a ter privilegios para alem da conivência de empresas publicas como a Anacom que fecha os olhos a tudo que tem a ver com estado criando uma concorrência por vezes deslial.
Tenho pena que isto tivesse acontecido mas já estava a espera pois a partir do momento em que se dá a licença a quem já possui pay tv via iptv e satelite só se poderia querer criar novamente um monopolio já a muito perdido.
Vamos ter que nos contentar com 4 canais porque o 5º ainda vai ter muito sono e se chegar a acordar e pelas ideas da PT vamos ser o unico pais da Europa a ter 8 canais via TDT mas que na pratica são apenas 4, emfim teve D.Afonso Henriques tanto trabalho para isto.

Sergio Denicoli disse...

O mais correcto seria que houvesse um novo concurso e que o projecto da AirPlus avançasse. Não esqueça que há a questão dos canais regionais, o que poderia ser um interessante uso do espectro, como já foi comprovado pela experiência espanhola.
De qualquer forma, uma decisão deste nível é tomada nos bastidores, em comum acordo com as forças políticas. É hábito deste governo agir com mãos de luvas, sem deixar as digitais (com trocadilho) lol.
Lamentável...

José Ferreira disse...

Fiquei imensamente satisfeito quando li a notícia.

Moro em Elvas. Quanto menos TDT de Portugal, mais espaço há para que chegue a TDT de Espanha com grande qualidade.

Com 25 canais livres, para quê pagar para ver TV?

Com duplo portador de áudio(dobrado e original) que mais podemos querer os raianos?

Depois das compras e gasolina barata, a PT ainda aumenta a possibilidade de nos deixarem ver todos os multiplex de Espanha.

Se temos Meo satélite e IPTV, se temos ZON e Cabovisão para quê a TDT de assinatura?

Boa PT, aguenta-te, não te deixes pressionar!

Yagi disse...

Helder,

Faz todo o sentido, em termos económicos e técnicos, a distribuição do sinal ser feita por uma única entidade. Em muitos países isso não acontece e as coisas funcionam relativamente bem, mas para isso é necessária boa coordenação e definir claramente as regras do jogo. A não co-localização dos emissores pode ser uma das consequências da distribuição/emissão do sinal ser feita por mais que uma entidade. Abordei essa questão aqui no Blog já á algum tempo:
A má imagem da TVI

Não concordo que a PT tenha muita experiência em telecomunicações, em especial na teledifusão. A experiência da PT na teledifusão começou á apenas alguns anos atrás, quando a rede de emissores analógicos da RTP foi vendida à Portugal Telecom. De qualquer forma concordo que, em Portugal, é a empresa que oferece mais garantias para uma tarefa desta dimensão.

Quanto aos 8 canais, julgo que está equivocado. Creio que o que se propõe é os canais actuais deixarem de emitir em SD e passarem a emitir em HD, não manter duas versões SD e HD.

Hélder disse...

Estou feliz com esta notícia. Depois do fiasco da TDT paga (tal como aconteceu em vários países Europeus), é altura de abrir o espectro a mais canais tugas grátis.

Abertura de novo concurso deve estar fora de questão, 2012 aproxima-se e o Governo precisa urgentemente de argumentos para justificar à população o porquê de desligar o analógico. E depois de tudo o que se passou, dificilmente haverá interessados.

Yagi, a PT de facto tem muitos anos de experiência em transmissão. Os técnicos e equipamentos da RTP passaram para a PT com a respectiva venda (a preço simbólico, adiante-se).

Yagi disse...

Sergio,

A televisão regional já tem espectro reservado (já falei deste assunto em post anterior) e pode avançar depois do switch-off analógico, fruto do dividendo digital. Desde que haja vontade política e interessados, claro!

A televisão regional e local irá utilizar outra tipologia de rede de difusão, diferente da actual rede SFN.

A abertura de um novo concurso, certamente que será a opção mais correcta a seguir mas, isso irá demorar imenso tempo e, susceptível a novos atrasos.

Quanto a mim, o Estado deveria reservar já o actual Mux B (excluindo-o do novo concurso).

A TDT ficaria temporáriamente assim:

Mux A:
RTP1, RTP2, RTP memória, RTPN, RTP HD e rádios públicas.

Mux B:
SIC, TVI, 5º Canal,...

Em 2011/2012 haveria nova alteração na composição dos multiplexers devido ao (espera-se) laçamento dos novos canais da RTP.

t0nito disse...

Isto é Portugal no seu melhor... Estamos cada vez a um passo mais atrás do resto da europa...

4throck disse...

As rádios deviam estar na TDT, até por razões praticas de distribuição de sinal nos edifícios (para quê duas antenas ?)
Outra coisa que ainda não ví falada por cá é o catchup, que consiste em ter uma segunda emissão de um dado canal, desfasada uma hora. Deste modo é possível "apanhar" um programa que entretanto começou e ver o mesmo desde o seu início. É uma espécie de "gravador" sem custos extra para o espectador e é usado no Reino Unido. Por último, não seria de interesse ter o Euronews na TDT? É um canal português e livre.

José Ilídio disse...

Boa tarde,

é efectivamente vergunhoso, ver situações destas depois de todas as novelas, em concursos, em tribunais, etc. para finalmente não haver nada.

quanto às decisões a tomar rápidamente, visto que o apagão analógico se aproxima a paços de gigante, a meu parecer:
- não se justifica a emissão em SD, quando todos os países estão a virar-se para HD, os 4 canais deveriam emitir unicamente em HD;
- não compreendo que não tenhão decidido de colocar um canal de notícias e um canal infantil, como se pode reparar nos outros países;
- TDT paga, não tem grande sucesso em nenhum país, o melhor é desistir;
- dar lugar aos canais locais e regionais, afim que eles se desenvolvam, são eles que se encontram mais próximos das populações.
Só com uma oferta com valor acrescentado, é que a TDT pode ter sucesso, se for para ter os 4 miseros canais, mais vale não ver TV.

Tony disse...

Sugestão

Para já existem 3 mux alocados para cobertura nacional (A,B e C)
~20Mbps /mux
60Mbps / 4 + espaço para o 5º em HD.
~52Mbps para dividir
Dava:
RTP 26Mbps
SIC 13Mbps
TVI 13Mbps

Passam a transmitir os sinais em HD, o espaço livre seria no caso da rtp obrigatoriamente usado para meter os canais temáticos actuais e possíveis futuros.
No caso dos privados ou metiam canais próprios temáticos ou revendiam o direito a outra empresa.

A bida é bela!!! disse...

Mais uma vez, um excelente post!
O que tenho a dizer sobre este assunto é o seguinte, a Airplus ia pagar um quinhão á PT pela infra-estrutura que iria haver, e pelo que sei, a Airplus terminou a operação em Portugal.
No que toca ao switch-off, para mim vai ser um salto daqueles complicados, pois das pessoas com quem convivo diariamente, e não só, ninguém se mostra interessado na passagem para o digital, pois não há vantagens, e ou a PT mostra vontade em expandir a tdt livre, com descodificadores a preços acessíveis, ou com grandes acções de campanha, ou então estamos condenados a haver dezenas ou milhares de familias "ás escuras" televisivamente.

Popy disse...

Indepententemente do que possa acontecer daqui para a frente com a TDT paga ou até livre, espero é que aproveitem a opurtunidade para re-lançar a TDT e começar a divulgação a sério.