quinta-feira, 16 de junho de 2011

TDT: Apagão no Cacém deixou 1000 famílias sem televisão (act.)

Foi hoje concretizado o segundo “apagão” da televisão analógica portuguesa. Pelas 11h30m da manhã técnicos da PTC desligaram o retransmissor de televisão analógica do Cacém, que transmitia a RTP1, RTP2, SIC e TVI para as localidades de Cacém, Agualva, Belas, Massamá, Mira-Sintra, Rio de Mouros e S. Pedro de Penaferim. No ecrã dos televisores pode agora ver-se unicamente um aviso do encerramento das emissões. Nestas localidades, para continuar a ver os 4 canais com qualidade e sem pagar assinatura, só através da TDT.

Segundo informação da ANACOM (a entidade responsável), devido ao desligamento do retransmissor, cerca de mil famílias perderam acesso aos 4 canais de televisão. De acordo com dados avançados em Maio também pela ANACOM, estas mil famílias representam metade do total de famílias afectadas pelo desligamento do retransmissor do Cacém. Ou seja, metade dos residentes sem contrato de televisão por assinatura ficou sem televisão! O meu aviso relativamente à necessidade de retirar ensinamentos da experiência de Alenquer e tomar medidas de correcção, comprova-se que fez todo o sentido.

Metade dos cidadãos afectados pelo desligamento terem ficado sem acesso à televisão é inaceitável e prova evidente do falhanço da estratégia adoptada para a televisão digital terrestre portuguesa e que denunciei logo em 2008.

A “experiência” do Cacém, apesar de afectar um número relativamente baixo de habitantes, comprova, mais uma vez, que há muito a fazer para que os desligamentos previstos para 2012 decorram sem sobressaltos. E os políticos têm motivos para ficar preocupados! A desculpa que ouvi hoje do responsável máximo pela TDT é típica: nós fizemos tudo para informar as pessoas… Uma ova!

O processo de introdução da televisão digital terrestre em Portugal tem desde o inicio sido uma verdadeira anedota de mau gosto. Estava já mais que provado que é necessário motivar as pessoas para aderir à TDT. E isso só poderá acontecer introduzindo algo de valor para todos os cidadãos ou seja, aumentando a oferta de programas. Até o próprio director da RTP Memória já defende a disponibilização do canal em sinal aberto! Em 2009 fui o autor de uma petição que propunha isso mesmo: trazer a RTP Memória e a RTP-N para a TDT, à semelhança do que já aconteceu em inúmeros países.

É por esta TDT não trazer nada de substancialmente novo e ter custos elevados que a resistência em aderir é tão grande. Os portugueses têm toda a razão em estar de pé atrás, esta TDT é um mau "negócio" para a maioria dos cidadãos. È aliás, pelo facto da TDT portuguesa não trazer praticamente nada de novo, que a publicidade que passa na TV aposta no sentimento de perda para levar as pessoas a aderir. Ou seja, você com a TDT não ganha nada, mas se não aderir vai perder o que já tem! Com esta TDT ganham todos, menos o “vulgar” cidadão, como já expliquei em post anterior.

Terá então o Estado alguma moral para cortar desta forma o acesso à televisão, que para muitos é a única fonte de distracção? Não! Os residentes de Agualva-Cacém e localidades vizinhas são as cobaias inocentes, vitimas dum processo desgovernado, inquinado desde o inicio e sem final feliz à vista. Governo, regulador, operador da rede e canais de televisão são os principais responsáveis. Quando esta trapalhada terminar alguns dos intervenientes no projecto TDT deveriam pensar duas vezes se deverão ou não colocar no seu Curriculum a participação em tão mal concebido e executado plano. Eu teria vergonha.

Agora terão sido 1000 as famílias que ficaram sem televisão mas, a continuarmos com esta vergonha nacional e internacional chamada TDT portuguesa, daqui a alguns meses não serão mais mil famílias, serão largas dezenas ou centenas de milhar que ficarão sem televisão. Tenho esperança que impere o bom senso.

23/06/2011:
Sem surpresa e à semelhança do que aconteceu em Alenquer, a ANACOM afirma que a migração para a TDT no Cacém foi um sucesso. A ANACOM baseia a sua conclusão com dados obtidos no seu posto de atendimento, na linha telefónica da TDT e nas oito juntas de freguesia. Apesar de ter afirmado que 1000 famílias poderiam ficar sem televisão, segundo a ANACOM, no dia do "apagão" (16-06) foram "detectadas" apenas 120 famílias sem televisão. Portanto, quem ficou sem televisão e não se "queixou" a estas entidades não conta. Moral da história: quem cala consente!

Apesar de considerar que o processo foi bem sucedido, a ANACOM alerta para o facto de as pessoas deixarem para a última hora a resolução do problema. Mas será que é de estranhar que as pessoas adiem para a última hora a transição para a TDT quando, por exemplo, a rede de emissores, que deveria estar pronta desde o início do ano, continua em dito "reforço de cobertura"? E quando dos 25 adaptadores TDT "testados" (com o patrocínio da ANACOM) apenas 3 são considerados (à justa) com boa qualidade?

Como venho dizendo, a ANACOM, em vez de transmitir aos políticos (e ao público) uma avaliação realista do processo, insiste em prosseguir a sua política de fuga para a frente tentando fazer crer que tudo está bem, não havendo portanto motivos para questionar o processo. Em Janeiro de 2012 veremos se a táctica resulta.


Posts relacionados:
Alenquer fica sem TV analógica
TDT: adiamento do fim da televisão analógica no horizonte
Televisores: menos de 5% estão preparados para a TDT
RTP vs. TDT
TDT portuguesa - Que futuro?
TDT: primeiros desligamentos adiados
Desligamento analógico: adiamento cada vez mais provável
TDT: problemas de recepção

12 comentários:

CMatomic disse...

Yagi disse...

Caro CMatomic,

Tem toda a razão em criticar o tratamento que muitos jornalistas dão à TDT. Os erros são muitos e só confundem as pessoas menos informadas. Eu próprio tenho chamado à atenção para alguns desses enganos. Em relação à jornalista da TVI, é verdade, passou no Jornal da tarde e a jornalista disse que as antenas no telhado iriam acabar em 2012. Mas também já ouvi dizer que as emissões da TDT são em alta definição, o que é mais um perfeito disparate. É lamentável, mas muitas vezes não há a minima preparação da parte de quem prepara estas notícias.

CMatomic disse...

"Noticia exame informática

Depois de Alenquer, é hoje o dia de Sintra receber o sinal da Televisão Digital Terrestre. Cacém e São Marcos são algumas das freguesias que já vão ter acesso ao sinal digital de televisão. No total vão ser 200 mil, as casas que podem ver os quatro canais abertos em TDT.
Vejam o resto aqui desta noticia , "resto" " http://aeiou.exameinformatica.pt/tdt-hoje-e-a-vez-de-sintra=f1009787

Haverá algum jornalista em Portugal saiba informar as pessoas o que é a TDT?
E já agora ensine ao ANACOM pois essa entidade também não sabe o que é.
Dizem que os Portugueses são solidários, mas há Portugueses, pois pagar 2.60€ na factura da luz para audio visual é muito dinheiro, mas não se queixam pagar 25 euros para ver televisão nos serviços privados e muitas das vezes só vêem os canais nacionais.
Ta claro que muita gente quer que os canais de livre acesso deixe de existir em Portugal.
Não será que não vêem que a TDT é um bem público para o beneficio de todos?

pagar 2.60 euros é muito,do que pagar 25 euros ?

Porque que a anacom se insiste em dizer.
Quem tem televisão por assinatura não será afectado"
Não será ?
isto é um bem público se as pessoas não aderirem ao sistema livre como poderá a TDT ser viável em Portugal?
Deixo-vos dizer tenho a MEO fibra e recebo os canais via RF em sinal analógico a única forma de ter acesso a televisão digital sem ter custos adicionais, é através da TDT, pois se quiser canais em digital tenho que alugar uma iptv box para os mesmos canais mas em digital por mais 5 euros por mês ainda por cima passam um cabo de rede pela casa toda,ate a sala de estar,
Comprei uma televisão preparada para televisão terrestre e no fim se não quero cabos de rede espalhados pela casa só vejo em analógico, e pago 25 euros para ver a televisão sem contar com a net e o telefone da meo, a única forma de ter acesso a emissões de televisão digital é através da TDT ou através do satélite, andam para ai uns senhores tão inovadores que no fim põem carroças a circular na autoestrada.

Por isso acho que esta transição é para todos mesmo aqueles são assinantes de televisão paga.

Também li hoje varias opiniões em vários sites que uma jornalista da TVI dizia numa reportagem,com chegada da TDT era preciso retirar as Atenas do telhado,e antes tinha dito que as pessoas estavam mal informadas.

Será isto verdade?

Mas afinal em que século vive essa jornalista ? no século 19 ou século 21 ?

Yagi disse...

O primeiro comentário foi eliminado acidentalmente e foi reposto.

Filipe Oliveira disse...

Caro Yagi, em primeiro lugar quero dar-lhe os parabéns pelo unico espaço onde se retira a informação que realmente interessa.
Em relação à problemática de muitas familias ficarem sem televisão por falta de informação, de uma oferta de mais canais e pagar em media 60€ para por uma tv com tdt para ver os mesmos 4 canais concordo plenamente, aproveito tambem para alertar para alguns dos "tecnicos" que andam por esse pais fora a montar uma simples antena UHF, um repartidor de sinal e um receptor de tdt cobrarem mais de 250€ pelo bonito serviço, sou da zona de Santarem (sul do distrito) onde existem muitas vilas e aldeias onde a população mais idosa é facilmente enganada por estes "tecnicos", já para não falar dos agentes da tv paga que se querem aproveitar esta onda de desinformação.
Já fiz algumas montagens de antenas exteriores, incluindo a da minha, sendo a ultima na casa do meu Avô ficando a antena, o receptor (30€) e acessórios em 60€, ora para serem cobrados mais de 250€ numa montagem com material similar acho muito, ok o meu Avô não pagou mão de obra mas mesmo assim acho um roubo descarado
Muito obrigado.

Yagi disse...

O director de programas da RTP José Fragoso apresentou a demissão e irá para a TVI desempenhar funções de coordenação nas áreas de informação e programas da TVI.

Para o seu lugar deverá ir Hugo Andrade actual director do canal RTP Memória. Hugo Andrade defendeu recentemente a disponibilização da RTP Memória em canal aberto.

Veremos se com a mudança de director de programas a posição da RTP relativamente à oferta de canais na TDT também sofre alteração. A RTP, a SIC e a TVI são contra a disponibilização de mais canais em aberto na TDT, como já informei anteriormente.

Miguel disse...

Em comunicado, a ANACOM afirma que “o processo correu de forma positiva e de acordo com a informação recolhida, cerca de 120 famílias ficaram sem ver televisão na sequência do desligamento do retransmissor analógico, um número que representa cerca de 0,5% das famílias abrangidas”, um número considerado “muitíssimo inferior ao esperado, já que a cerca de 10 dias do desligamento do retransmissor, um inquérito levado a cabo pela Anacom revelava que poderiam ficar sem televisão cerca de mil famílias”. Ora a notícia veiculada pela comunicação social foi que ficaram 1000 famílias sem scesso aos 4 canais terrestres depois do desligamento. Há aqui alguém no meio disto tudo que está a fazer desinformação propositadamente.

Yagi disse...

O post informa devidamente que a informação vem da Anacom e foi também actualizado com as conclusões da Anacom. O que outros publicam é da sua esponsabilidade.

Como se diz, a Anacom informa que faz a sua avaliação com base nos contactos que foram recebidos no dia 16, o que necessáriamente vai deixar de fora muitas pessoas, ainda mais porque Portugal é um país onde se reclama muito, mas poucos acabam por reclamar junto das entidades próprias.

Mas a própria afirmação da Anacom, de as 120 familias atingidas representam 0,5% das familias abrangidas não bate certo com afirmaçãoes anteriores da própria Anacom. Como explico (e informo), a Anacom informou em Maio que no Cacém o desligamento iria afectar 2000 famílias. A ser verdade que no dia 16 de Junho apenas 120 ficaram sem televisão, a percentagem de famílias afectadas seria 6% e não 0,5%, como a Anacom "informa"! 120/2000 = 6%

Esta é apenas mais uma contradição da Anacom. Mas, que eu saiba, mais ninguém "confronta" a Anacom com estas "contradições".

Recordo que em Fevereiro a Anacom também "informou" que a instalação da rede de emissores ficou concluída em 2010, informação rapidamente desmentida pelo Blogue TDT em Portugal e mais tarde pela própria PTC que tem anunciado a instalação de emissores, muito para além da data estipulada na licença de utilização do Mux A.

Há desinformação? Cada um julgue por sí de onde vem...

@_Anonimo disse...

offtopic

Qualidade de imagem da TVI com um bitrate muito baixo as 17:20, o que será que a PT anda a fazer ?
a imagem faz me lembrar Internet a 128kpps,

O que será que a PT anda a preparar?

songohan disse...

Se a Anacom quiser testar se Portugal está mesmo tão bem preparado como eles dizem, bastava fazer um pequeno teste:
Desligarem os emissores analógicos de Monsanto e Montejunto durante 1 hora durante a manhã ou durante a tarde. Colocavam o número de telefone da TDT e um email de contacto.

Com essa pequena operação, íam ver as linhas a ficar superlotadas.
Assim é que viam se as coisas estão assim tão boas como tem sido anunciadas... seria interessante de ver.
Com a actual crise, cada vez mais gente abandona os operadores de cabo e voltam para as antenas.
Infelizmente os instaladores de antenas estão a cobrar um balurdio por uma instalação e não sabem sequer quais são os emissores mais próximos. Usam o aparelho para detectar a melhor direção para a antena (isto na margem sul do tejo) mas apontam sempre para os emissores de Monsanto e Palmela. Quando o sinal é fraco, vendem amplicadores pelos quais cobram 130 euros... quando o amplificador custa 40.
Um vizinho dos meus pais pagou 240 euros por um cabo e 1 amplificador... eu sem receber nada mudei a orientação da antena para o emissor mais próximo e o sinal passou de 56% para 89%, sem precisar do amplificador. Foi só rodar a orientação da antena em cerca de 45 graus para obter essa vantagem e não tinha nenhum aparelho para verificar o sinal lá perto da antena. Com mais um ajuste tenho quase a certeza que ainda consigo subir mais o sinal já que o emissor está a 5km dali.
Assim a TDT não tem qualquer possibilidade de avançar nas casas portuguesas.
No interior vemos antenas orientadas para Espanha e as casas já com descodificadores que tem a nossa TDT e a TDT espanhola... aqui no litoral centro-sul estamos a ver aparecerem novas antenas mas para dar lucro aos instaladores e vendedores de televisões.
No próximo fim de semana vou para a beira alta onde se sabe mais sobre a TDT do que aqui.
Quem tiver disponibilidade e que tenha acesso à TDT Espanhola que contacte a SIC que eles estão interessados em fazer uma reportagem sobre isso.

Miguel disse...

songohan, não generalizes. Eu sou instalador a tempo inteiro (é a minha profissão, não vendo TV's nem outros electrodomésticos), e os equipamentos que estão relacionados directamente com as necessidades do meu trabalho, como receptores de satélite, LNB's, antenas, sintonizadores para a TDT, moduladores, extensores de comando, etc, são para fornecimento directo ao cliente e não para venda ao público. Eu cobro o justo para o trabalho que faço e, em muitos casos, aproveito grande parte do material que existe em vez de tirar tudo e meter novo como fazem muitas dessas pessoas que referiste, a quem eu prefiro chamar oportunistas, porque levam mais dinheiro do que deviam, não pagam impostos do que ganham e quando é preciso dar assistência ou garantia da instalação, não há nada para ninguém.
Eu sei que há muito poucos profissionais a tempo inteiro nesta área e é bom denunciar essas situações mas não pode pagar o justo pelo pecador.

Yagi disse...

Em todas as profissões há bons e maus profissionais e aqui não é excepção. Já com a televisão analógica há bastantes residências que recebem mal devido ao mau trabalho de alguns "artistas". Com a TDT essa situação só vai piorar, como já comentei.

Infelizmente, o pouco tempo que falta (se não houver adiamentos) até ao inicio dos apagões a sério vai facilitar a vida aos oportunistas.

Os apagões "piloto" são uma brincadeira comparado com o que pode acontecer quando desligarem um emissor que sirva mais pessoas.