sábado, 22 de janeiro de 2011

Parlamento vai discutir emissão da RTP na TDT Galega (act.)

A intenção não é nova e o Bloco Nacionalista Galego (BNG) volta de novo à carga instando o Governo galego a adoptar as medidas necessárias para possibilitar a recepção na Galiza do sinal da radiotelevisão portuguesa através da TDT espanhola.

O pedido foi feito esta semana, em conferência de imprensa conjunta do deputado do BNG Bieito Lobeira e da deputada portuguesa Catarina Martins do Bloco de Esquerda. Durante a conferência, realizada na Galiza, foi revelado que uma iniciativa similar irá ser discutida no parlamento português em Fevereiro.

Uma das possibilidades técnicas passará pela “dotação de um múltiplex” que faça chegar o sinal às habitações galegas. Segundo o deputado galego, existe já um acordo do parlamento galego para avançar nesse sentido, mas a Xunta da Galicia dão deu um único passo para efectivar o mandato parlamentar. Ainda segundo o parlamentar galego, se o parlamento português der o seu acordo, ficará o caminho livre para que os Governos tomem as medidas para que isto se possa concretizar.

Recordo que sempre foi possível receber as televisões portuguesa e espanhola de ambos os lados da fronteira. Mas actualmente, como a TDT portuguesa utiliza uma norma diferente da utilizada pela maioria dos canais espanhóis, poucos vêm a televisão portuguesa através da TDT. Recordo que Espanha já fez a transição para a televisão digital terrestre em 2010 e em Portugal está previsto o fim das emissões analógicas já no próximo ano. O que se pretende é fazer chegar o sinal da RTP a qualquer lugar da Galiza e não apenas a localidades próximas da fronteira. Actualmente é possível receber vários canais regionais espanhóis via satélite, mas a disponibilidade da emissão terrestre permitiria um acesso generalizado.

Seria sem dúvida uma excelente iniciativa que permitiria contribuir para o desenvolvimento das relações transfronteiriças ao nível cultural, económico e social. Faria todo o sentido, consoante a zona do país, disponibilizar o sinal da CRTVG, Canal Extremadura ou Canal Sur na TDT portuguesa. Isto será tecnicamente perfeitamente realizável após o desligamento analógico em Portugal.

Pena é que, em 2011, não se vislumbre ainda no horizonte o nascimento de uma única televisão regional portuguesa! Só a título de exemplo, tenho tido oportunidade de assistir a alguma programação do Canal Extremadura e verifico que as regiões portuguesas de fronteira têm talvez mais cobertura por parte deste canal do que pela própria RTP!

Mas, muito sinceramente, não creio que a proposta algum dia venha a materializar-se. É de esperar pouca ou nenhuma vontade política quer de Espanha quer de Portugal. Além disso, as autoridades portuguesas parecem dar a sua bênção a todas as tácticas de sabotagem que visem tornar a TDT portuguesa o menos interessante possível. Mas enfim, há que acreditar.

14/04/2011:
Na última sessão plenária da Assembleia da República antes das eleições, o Parlamento português aprovou a iniciativa do BE (votos favoráveis do CDS-PP, um deputado do PS e a abstenção do PCP, PEV, PS e PSD) e autorizou que se iniciem negociações entre Portugal e Espanha para que seja possível receber a televisão e as rádios públicas portuguesas na Galiza. O Parlamento Galego já havia aprovado uma resolução dando autorização para que seja possível receber a televisão e rádios galegas em Portugal e a televisão e rádios portuguesa na Galiza. Falta agora passar das palavras aos actos…


Posts relacionados:
TDT Espanhola ganha terreno em Portugal
TDT HD Espanhola em Portugal
TDT Portuguesa em MPEG4

4 comentários:

Yagi disse...

Comentário recebido de um leitor:

Esta questão há muito que é debatida na Galiza, existindo, tal como referido no post, decisões do parlamento da Galiza nesse sentido. A anterior Junta PSdG/BNG até tinha afirmado que a recepção de TVs portuguesas na Galiza seria uma realidade em 2012! Mas, tal como o autor do post, tenho poucas esperanças que tal venha a acontecer: o centralismo de Lisboa e Madrid, bloqueiam qualquer iniciativa de relacionamento que não passe por estas.
Outra questão que será interessante é a transmissão da TVG (os seus dois canais) na TDT portuguesa, e contrariamente ao defendido, tal não deveria estar limitado ao Norte (Minho, Douro Litoral e Trás-os-Montes) mas sim a todo o território nacional, de modo a melhorar o conhecimento que em Portugal se tem sobre a Galiza, um país e um povo irmão, numa língua do mesmo sistema linguístico do português (contrariamente ao castelhano).
Seria também uma forma simples de incentivar a TDT portuguesa, com a oferta de mais dois canais, praticamente sem custos para o lado português, e um meio de cumprir a Carta Europeia de Línguas minoritárias, que Espanha e Portugal já rectificaram, e onde se pode ler no seu Artigo 11.º - Meios de Comunicação Social:
"1. As Partes comprometem-se, para os falantes das línguas regionais ou minoritárias, nos
territórios onde essas línguas são utilizadas, conforme o estatuto de cada língua, na medida
em que as autoridades públicas têm, de modo directo ou indirecto, competências, poderes ou
desempenham um papel neste domínio, respeitando os princípios de independência e
autonomia dos órgãos de comunicação social:
a) Na medida em que cabe à rádio e a televisão desempenhar um papel no serviço público:
i A assegurar pelo menos uma estação de rádio e uma cadeia de televisão nas línguas
regionais ou minoritárias; ou
ii A incentivar e/ou a facilitar a criação de pelo menos uma estação de rádio e uma cadeia de
televisão nas línguas regionais ou minoritárias; ou
iii A adoptar as disposições adequadas para que sejam difundidos programas nas línguas
regionais ou minoritárias;"

Carta Europeia de Línguas Minoritárias
http://www.agal-gz.org/portugaliza/tvsptnagaliza/carta_linguas.pdf

Sítio da Plataforma para a recepção da rádios e televisões portuguesas na Galiza (sítio galego)
http://www.agal-gz.org/portugaliza/tvsptnagaliza/

Notícia de 2008 sobre o assunto
http://www.vieiros.com/nova/70419/as-televisions-portuguesas-chegaran-en-2012

Yagi disse...

Esclarecimento do Autor:
Em parte alguma do Post em questão afirmo que a transmissão da TVG deve estar limitada ao Norte do país!> Como se afirma no comentário anterior.

O que escrevi é bem diferente:
«Faria todo o sentido, consoante a zona do país, disponibilizar o sinal da CRTVG, Canal Extremadura ou Canal Sur na TDT portuguesa.»

Para que fique claro, não me oponho a que a televisão Galega esteja acessível em todo o país. Apenas considero que faz mais sentido disponibilizar um canal diferente consoante a zona do país atendendo às especificidades regionais. A alternativa provavelmente obrigaria à transmissão de pelo menos 3 canais a nível nacional pois outras zonas de Portugal iriam possivelmente invocar factores culturais e outros para reclamar o acesso a outros canais provenientes de outras regiões espanholas.

joecurtis disse...

Boas.
concordo plenamente. Para quem anda atento a estas questões basta ver os exemplos da Bélgica, Holanda, Austria, Suíça (nem falo sequer em Andorra e Luxemburgo), etc, etc... onde alguns canais (Principalmente os públicos) dos países vizinhos estão presentes nas plataformas de tv paga e TDT.
Mas cá falta coragem (e competência) politica e os nuestros hermanos estão-se nas tintas para nós, pois a TDT deles chega e sobra.
Abraço.
João

Rafa Pérez disse...

Para começar quero pedir desculpas por usar um tradutor para escrever aqui minha opinião. Apesar de ter um avô Português, embora eu não falo bem o suficiente para entender a linguagem, isso também ajuda a que o meu pai está morando na Galiza e nas Astúrias ... língua asturiana tem muitos pontos de união com a Galiza e, portanto, com o Português.
A fórmula ideal para mim seria, no mínimo, a televisão Português e Espanhol público pôde ver nos dois países e se permitir que as freqüências, que também podia ver privado.
Nós somos dois países irmãos. Apesar de toda a história de Portugal e Espanha foram recusados por diversas vezes, a realidade é que, culturalmente e historicamente temos são as mesmas pessoas. Nós somos diferentes, mas não mais do que qualquer diferença entre um asturiano e um andaluz ... por exemplo. Entre o espanhol ea língua da Andaluzia que nos une, mas pouco mais, enquanto em muitas outras coisas que temos mais semelhanças com o Português com a Andaluzia ou catalão.
Português e os cidadãos espanhóis merecem a distância para virar a página e entrar para a reunião. Espero que um dia você pode criar um único ibérico ou o estado espanhol, com suas línguas oficiais em todo o estado e, claro, com a capital Lisboa.
Se as emissoras de ambos os países chegaram a todos os seus cidadãos serviria para normalizar a presença de um país no outro e esquecer seus próprios estereótipos do passado. Espanha sempre preferiu olhar para o Norte da Europa e para dar a volta ao irmão, que queria se tornar independente de Castela, que busca apenas a dominação lingüística e cultural de Portugal. A história está lá, mas agora vivemos um outro momento histórico diferente. Portugal e Espanha podem olhar cara a cara e achar que é muito mais que os une do que divide. A realidade para mim é que me sinto em casa quando estou lá porque eu tenho dificuldade até mesmo tentando falar Português, não muito diferente de quando estou na Galiza e tentar falar em galego.
Esperemos que a TDT Português definitivamente começar e que os nossos governos são suportados por esta nova tecnologia para unir.
Eu ainda geralmente a RTP internacional, mas eu caio curta