terça-feira, 14 de outubro de 2008

TDT à portuguesa!

A pouco mais de seis meses para a data do arranque oficial da TDT em Portugal, instalou-se o silêncio! Silêncio das autoridades (governo e Anacom) e silêncio do concorrente vencedor dos concursos da TDT (PTelecom).

Repito, a seis meses da data anunciada para o arranque oficial das emissões (Abril de 2009) não foram ainda tornadas públicas as opções tecnológicas adoptadas. E como também nunca foi divulgado o conteúdo da oferta vencedora (nem da perdedora), no referente às opções tecnológicas a adoptar, também não é possível ao comércio, indústria e público em geral, o acesso a essa informação essencial.

Na ausência de informação oficial, cresce a especulação, instala-se a dúvida e a descrença. Ou seja, começámos mal e continuamos mal!

Se não são conhecidos os requisitos técnicos dos aparelhos (Tv’s e STB), como é que os fabricantes e comerciantes sabem que modelos devem produzir e comercializar em Portugal?

Mais uma vez, não sabemos adoptar as boas práticas de outros países, que têm gerido muito melhor o processo de transição da televisão analógica à digital. Veja-se o exemplo da Irlanda. O inicio oficial da TDT na Irlanda è Outubro de 2009. Pois bem, as autoridades Irlandesas já têm publicado desde Fevereiro de 2008 os requisitos técnicos dos aparelhos necessários para receber a TDT. Em absoluto contraste, a TDT portuguesa, que é suposto arrancar em Abril de 2009, e essa mesma informação contínua sem sair a público.

É fundamental saber qual a norma utilizada na compressão do sinal. O caderno de encargos favorecia o MPEG4, mas qual será adoptado? O MPEG4, o MPEG2 ou ambos? No inicio de Abril deste ano, e mesmo antes de ser conhecido o resultado dos concursos, um porta voz da RTP dizia que os canais pagos iriam utilizar o MPEG4. Ou seja, por omissão, poderia deduzir-se que a norma de compressão a utilizar nos canais gratuitos (MUX A) seria o MPEG2.

Agora, há quem afirme que os canais gratuitos também irão utilizar compressão MPEG4. E também se especula que a TDT portuguesa irá adoptar o novíssimo DVB-T2 em vez do DVB-T. O DVB-T2 é ainda, e apenas, utilizado em emissões experimentais e ainda não existem sequer receptores DVB-T2 à venda.

Se o MPEG4 for adoptado para todos os MUX’s qual a consequência? Apenas e só que em 99,99% dos televisores com TDT integrada ela simplesmente não funcionará! Ou seja, se se confirmar que todos os MUX’s irão utilizar o MPEG4 será necessário comprar um receptor externo ou um transcodificador MPEG4/MPEG2 porque quase todos os televisores já vendidos e à venda em Portugal são apenas MPEG2!

Mais, os receptores compatíveis com MPEG4 são ainda muito recentes e significativamente mais caros que os comuns receptores MPEG2. Ora, não estou a ver a PT a subsidiar receptores MPEG4 só para receber canais livres. Economicamente, apenas fará sentido, oferecer o receptor a um preço reduzido a quem subscrever os canais a pagar, como aliás já acontece com o serviço MEO satélite cujo receptor custa 79€.

Ou seja, quem quiser a TDT apenas para ver os canais gratuitos, arrisca-se a ter que gastar uma importância elevada no receptor. Neste caso o custo da TDT acabará por ser idêntico ao do satélite ficando a perder na oferta de canais.

Mas como está previsto que os canais a pagar arranquem só em Outubro de 2009, é razoável deduzir que não haverá receptor oficial antes dessa data. E também não é de excluir a possibilidade do arranque oficial ser adiado para a mesma data.

É minha convicção que caso o MPEG4 seja adoptado para todos os MUX’s, o objectivo da massificação da TDT estará comprometido, pelo menos a médio prazo.

Utilizando a solução DVB-T MPEG2 é perfeitamente possível transmitir no MUX A, 5 canais em definição SD (720x576), inclusivamente em 16:9, com muito boa qualidade de imagem e som. A alta definição em TDT por questões de economia de espectro poderá aguardar pelo MPEG4 em DVB-T ou DVB-T2.
Actualização:
Segundo informação recebida todos os MUX's da TDT vão utilizar o MPEG4 (vêr noticia de 29/10).

3 comentários:

Frank Leppert disse...

Concordo completamente com a sua opinião e os receios de possíveis abusos da parte da PT.
Para já, ninguém tem interesse em investir seriamente na TDT, ainda menos a PT, que tem o Meosat para comercializar em terras longe do cabo e do IPTV.
O pacote livre (Mux A) não é interessante para a empresa economicamente, utilizando-a apenas como veículo para introduzir a parte paga. Portanto, quem quer ver os canais generalistas (RTPs, SIC, TVI mais um) ou gasta uma nota preta para um receptor DVB-T2/MPEG-4 ou aluga um aparelho subsidiado, e claro, vai assinar um pacote pago à PT já que tem e paga pelo aparelho. Isso significa o fim do serviço gratuito da TV quando procederem ao switch-off, que, de certeza, não demorará muito depois da introdução da TDT.
O MPEG-2 é mais do que suficiente em termos de largura de banda para os 5 canais livres.
Vamos ver se alguém se apercebe da jogada desses senhores, e não apenas quando for tarde a mais.

Cumprimentos

Frank Leppert

antonio disse...

Como todos vejo TV, tive desde sempre TV satelite e depois TV por cabo. Efeito da crise mudei-me há 1 ano, para uma zona sem cabo e só por isso passei a ver apenas canais generalistas. Somando a estes canais um gravador com hd para ver os preograms fora de hora e internet tenho uma oferta de entertenimento e informação razoalvel que preenche perfeitamente os tempos livres a custo reduzido. Cheguei a conclusão que a oferta da tv por cabo é de muito fraca relação preço qualidade. Como eu muitos consumidores devem ter chegado à mesma conclusão. a TDT "gratuita" daria cabo de muito negocio já que parece que há 2 milhoes de clientes a pagar para ver TV. Conclusão quem quiser ver TV no futuro terá mesmo de pagar. Preciso de internet para tabalhar, vou passar a ler mais livros. Adeus TV acompanhasteme durante 36 anos.

Antonio-2 disse...

Creio que a melhor decisao da TDT portuguesa foi adotar a compressao MPEG-4,mais moderna e eficiente, os pioneiros em adotar o sistema digital em MPEG-2 hoje preocupam-se com certas desvantagens que o padrao nao oferece em relacao ao MPEG-4,em todos os paises em que a adocao da TDT eh recente,a opcao eh para o MPEG-4.